34° Dia – Passeio a Giverny para conhecer os jardins de Monet

13 junho 2009

Estou ficando uma preguiçosa pois saio cada vez mais tarde do hotel. Na dúvida entre Giverny e Chantilly, acabei escolhendo a primeira. Afinal, eu gosto de jardins e gosto dos quadros de Monet.

Segundo as minhas anotações, Giverny fica perto de Paris. Bastaria eu pegar um trem para Roeun e descer em Vernon. Lá tem um ônibus que nos deixa em Giverny e seus horários são de acordo com os horários dos trens.

O trem sai da Gare de Austerlitz. Cheguei na gare e surpresa: fila para comprar passagens. Segundo as minhas anotações, o trem sairia às 11h e eram 10h20. Comprei a passagem e segunda surpresa: o próximo trem era às 12h20. Não havia trem partindo às 11h. Droga! Aproveitei para ver os horários dos trens para St. Michel meu destino de segunda-feira. Terceira surpresa: eu ia visitar o monte St. Michel na segunda, dormiria em St. Malo e terça de manhã cedo pegaria o primeiro trem para Paris pois meu vôo para Veneza é às 10h30. Terceira surpresa: A passagem só a ida custava 60 euros. Quarta surpresa: mesmo que eu quisesse ir, o primeiro trem para Paris saindo de St. Malo é as 9h30. A viagem dura 3h. Eu mereço! Agora vou ter que ficar mais um dia em Paris.

Chega o fim da estadia num lugar, eu já fico ansiosa pensando no outro. Eu gostei de Paris mas agora só estou pensando na Itália.

Como eu tinha mais de uma hora e meia pela frente andei pelas redondezas e qual não descobri que pertinho da gare está a Printemps e a Galeria Lafayette, os templos de consumo. Fui lá dá uma olhadinha nos perfumes e nas maquiagens novamente. Adoro este lugar!

O primeiro andar das Galerias Lafayette. Adoro!

O primeiro andar das Galerias Lafayette. Adoro!

Galeria Lafayete. Não é bonita?

Galeria Lafayete. Não é bonita?

Volto, compro o meu almoço no supermercado (fiquei apavorada com as fotos da Torre. Eu acho que engordei à beça aqui em Paris graças a estes pães. Diante disso, agora é só salada, amigos) e quando chego à estação cadê o anúncio da viagem para Vernon?

Fiquei apavorada. Até que eu descobri que a viagem é para Rouen. Vernon é uma parada da viagem. Validei o tíquete e esperei quase uma hora para chegar em Vernon. Uma multidão saiu do trem e pegou o shuttle para Giverny.

Giverny é uma cidadela bonita e aparentemente muito calma. Quando as pessoas chegaram em frente a Maison de Monet mais uma surpresa (contou quantas surpresas já tive hoje?): fila! Não é possível, fila até aqui! Isso eu não podia imaginar. Debaixo de sol escaldante, o jeito foi tomar um sorvete e esperar.

Após mais de meia hora, conheço os famosos jardins de Monet.

Jardins de Monet

Jardins de Monet

Jardins de Monet

Jardins de Monet

Maison de Monet

Maison de Monet

A minha flor preferida neste jardim

A minha flor preferida neste jardim

A fachada do museu

A fachada do museu

Minha opinião: é tudo muito bonito mas … é só um jardim. OK, foram fonte de inspiração para seus quadros mas é só mais um bonito jardim. Acho que ganharia mais se eu tivesse passeado de balão em Chantilly…

Fui embora bem cedo. Como faltava uma hora para aparecer o ônibus, almocei ali no ponto de onibus mesmo.

Nota: burrice minha. Eu poderia ter muito bem andado até a estação. Não fica muito longe. Mas, eu cochilei no trajeto e não percebi que era perto assim.

O ônibus chegou às 16h e quando cheguei a estação o trem para Paris só sairia às 17h53. Foi a quinta e derradeira surpresa do dia. Fiquei furiosa! O jeito foi me conformar e esperar. Perdi um dia num passeio que eu não gostei. Com um detalhe: o trajeto foi muito maior que o passeio em si. Antes tivesse ficado no Louvre ou tomar sol nos jardins das Tulherias. Vivendo e aprendendo.


Categorias: Europa França Paris
Tags:

2 Comentários

  1. leniza disse:

    meu deus! quanto mau humor… imprevistos e surpresas são recorrentes em ciagens ao exterior, é preciso ter muito jogo de cintura e curtir…

    • Pat Alves disse:

      Xi, Leniza! Até que neste dia eu estava bem-humorada! Mas uma coisa é certa: eu não sei lidar com imprevistos. Fico para morrer qdo algo sai diferente daquilo que eu esperava. Neste dia eu fiquei chateada porque perdi mais tempo no deslocamento do que no passeio em si. Em Florença eu conheci uma portuguesa que não planejava nada! O oposto de mim! Não sabia qual seria seu destino, eu ficava para morrer com seu jeito… Até que eu resolvi mudar o meu roteiro. É difícil mas eu estou aprendendo…Sabe como é… pessoas são…. pessoas!

Deixe seu comentário