35° Dia – Torre Eiffel

14 junho 2009

Hoje foi um dia em que eu não fiz nada. Lindo dia de sol, pensei em ir para o Chateau de Chantilly conhecer o castelo e fazer o tal passeio de balão que eu comentei há alguns dias. Quando eu estava tomando café uma garota da Finlândia sentou-se ao meu lado e passamos a conversar. Conversa agradável. Bom, como eu estava já saindo para pegar o metrô, lembrei que tinha esquecido as anotações no quarto. Lá fui eu pegá-los.

Penso em fazer algumas mudanças na viagem. Pretendo diminuir a estadia nas 3 cidades que visitarei na Itália e talvez incluir Lisboa no trajeto. Então passei o dia planejando isso. Quando dei-me conta já eram duas da tarde!

Almocei pelas redondezas mesmo e voltei ao hostel. Meus planos mudaram. A idéia agora é fotografar Paris à noite fechando com chave de ouro o meu período aqui. Daí chega uma australiana superfalante e que quer ir à Torre. Pergunta se eu quero ir com ela, eu disse que sim. Afinal só falta eu conhecer a bendita Torre. Depois, uma escocesa recém chegada ao quarto se junta à dupla.

Antes as garotas queriam comer pois estavam morrendo de fome. Procuramos restaurantes pelas redondezas mas não achamos nenhum aberto. Já tínhamos decidido que seria uma pizza. Sairia bem mais em conta. A idéia foi então chegar à Torre e procurar restaurantes pelas redondezas.

Pegamos o metrô rumo ao Trocadero. Dependendo de onde você esteja hospedado em Paris, para não ter que fazer duas baldeações no metrô, o melhor é descer na estação Trocadero. Ao sair da estação, você está praticamente no Palais Challoit. Ali tem uma visão incrível da torre. Vale tirar uma foto para recordação.

As garotas

As garotas. Foto tirada no Trocadero.

Descemos as escadarias do palácio e fomos rumo à torre. As meninas estavam morrendo de fome. Eu sugeri comprarmos primeiro o ingresso e depois comer.

A fila estava gigantesca. AUS descobriu que o uso do tíquete é imediato. Já eram nove da noite e o sol estava indo embora. Quando saimos da fila e ai o rapaz disse que o elevador que vai até o topo parava de funcionar às 10h45. Então, já tão pertinho do guichê, decidimos ficar. Um alívio para mim, pois eu não ia aguentar com bom humor pegar esta fila novamente.

Para chegar até o topo, no segundo andar você tem que trocar de elevador. À medida que o elevador foi subindo, senti arrepio. É muito alto!

Trocadero em dois momentos. Final da tarde e....

Trocadero em três momentos. Final da tarde e....

...à noite.

.Ao anoitecer e ...

À noite

À noite

Vale os treze euros para chegar até o topo da Eiffel. Conseguimos assistir o pôr-do-sol e o início do anoitecer.

Quando descemos, assistimos a iluminação da torre com as luzes a piscar por cinco minutos. Lindo!

Torre Eiffel

Torre Eiffel

Torre Eiffel, em um dos momentos em que as luzes piscam

Torre Eiffel, em um dos momentos em que as luzes piscam

A procura por uma pizzaria

A esta altura da noite, dez e meia, até eu estava com fome. Procuramos por uma pizzaria (sairia mais barato dividir) pelas redondezas. Perguntamos aos trauseuntes. Até que encontramos um café perto da Torre. Preços altos. As meninas decidiram que iam tomar um milk-shake. Quando viram que o milk-shake custava dezessete euros, desistiram! Fomos embora procurar o nosso italiano. Achamos! Não tinha pizza mas tinha lasanha a bolonhesa. Ótimo. No final, o dono ofereceu uma limoncella, ele disse que é uma bebida feita de limão e um licor italiano. Eu provei mas achei muito forte. Argh! As garotas adoraram. Conseguimos pegar o metrô antes que fechasse e finalmente chegamos ao hostel.


Categorias: Europa França Paris
Tags:

Deixe seu comentário