37° Dia – Veneza

16 junho 2009

De Paris a Veneza escolhi voar com a Easyjet. Esta foi a passagem mais barata que comprei: trinta e cinco euros, aproximadamente.

Voar com a Easyjet

Vôo de companhia low-cost é engraçado e irritante ao mesmo tempo. Engraçado, porque o piloto fala pelos cotovelos. Irritante, exatamente pelo mesmo motivo. Na parte traseira da poltrona além das habituais revistas tem o cardápio com seus respectivos preços. Sim, comida em aeronave neste estilo de companhia, é paga. Ah… e também neste mesmo encarte tem preços de perfumes, brinquedos,etc. Aliás na semana passada, li na internet que a Gol está querendo adotar este estilo.

Veneza

Veneza do alto é muito bonita. O vôo foi tranquilo e rápido (menos de duas horas). Para sair do aeroporto de Veneza para a cidade é só pegar um ônibus da companhia ACTV. Custou € 3,00 e durou menos de 20 minutos a viagem. O hotel eu achei fácil, fica perto da Piazzale Roma.

Já havia combinado com o Sr. Giovanni (mais tarde vim a saber que era um ragazzo) que eu ia ficar no máximo duas noites. Saí do hotel para conhecer a tão falada Piazza San Marco e seus pombos, os gondoleiros, os canais, enfim tudo o que faz Veneza ser mundialmente conhecida como a cidade mais romântica do mundo.

Seguindo as indicações pintadas em algumas casas (Ponte Rialto e Piazza San Marco), fui passando por várias igrejas, ruelas e observando as lojas com várias peças de vidros coloridos de Murano, as lojas com as famosas máscaras e carnaval, lojas de grife. Também você passa por pontes e observa os gondoleiros a levar casais de enamorados ou famílias.

Muitas sorveterias com os saboroso gelattos e lojas de pizza e pasta. A pizza aqui é finíssima, servida em fatia grande. Você compra e leva-a para comer na rua. Com relação ao custo de vida, Veneza é uma cidade caríssima.

Outra coisa, de regra geral, quanto mais perto da Piazza San Marco, mais altos são os preços.

Piazza San Marco

A imagem que eu tenho da Piazza San Marco é de estar sempre cheia e com inúmeros pombos. Até que não havia muitos. Os que estavam adoravam pousar sobre as mãos das crianças.

Piazza San Marco (com Museu Correr ao fundo)

Piazza San Marco (com Museu Correr ao fundo)

Piazza San Marco

Piazza San Marco

Há uma torre com um relógio com as fases da lua, uma igreja, o palácio Ducado e mais um prédio que eu não consegui detectar. Mais a frente, já na beira da praia, um posto de gôndolas e a estação para pegar os vaporettos.

Depois de Paris, eu decidi só ir a museus e igrejas somente em Roma (por motivos óbvios).  Senão, fica extremamente cansativo e algumas coisas interessantes acabam não sendo apreciadas.  Então, aqui em Veneza preferi andar pelas ruelas da cidade.

A Torre e o seu relógio

A Torre e o seu relógio

Os canais de Veneza

Os canais de Veneza

As gôndolas

As gôndolas

Máscaras de Carnaval em Veneza

Máscaras de Carnaval em Veneza

O que eu achei de Veneza?

Eu não gostei muito Veneza. Não consegui ver a tal magia que as pessoas vêem nesta cidade. Na minha opinião, os prédios são mal conservados, as ruas não são limpas e os pontos principais da cidade estão lotados de camelôs sem ter um pouco de organização.

Eu impliquei tanto com a cidade que assim que eu saí da Piazza San Marco fui a uma lan house para procurar hotéis em Cinqueterre. Não consegui hotéis nem em Cinqueterre nem em Florença. Já estava pensando em ir para Milão, só para ter que sair de Veneza. Passei por duas horas procurando vagas nos albergues mas não consegui. Voltei para o hotel desolada. Então, decidi seguir a dica de um amigo: visitar a ilha de Murano e seus cristais e quem sabe, assistir o pôr-do-sol na Ilha de Giudecca.

Agora, tenho que dar a mão à palmatória (ditado antigo): a cidade é altamente fotogênica.


Categorias: Europa Itália Veneza
Tags:

Deixe seu comentário