A aventura começa agora!

13 maio 2011

Por incrível que pareça, deixei tudo para a última hora. Hoje, ainda fui ao shopping comprar algumas blusinhas de manga comprida, almocei o bom e velho churrasco e com feijão pois provavelmente seria um mês sem comer o feijão preto.  Saí do shopping por volta de meio-dia para imprimir a parte de dicas sobre segurança e a lista de hotéis.  Não deu tempo. Lógico! Fique me lamentando por não ter arrumado a mala com antecedência.

A idéia era pegar um táxi às 14:30 pois o voo seria às 18:00.  A viagem até o aeroporto do Galeão dura aproximadamente uma hora. Nem preciso dizer que eu me atrapalhei, né?

Demorei a arrumar a mochila que estava abarrotada.  Eu ainda tinha que telefonar para a cooperativa de táxis e colocar cadarço no tênis. Já passava das 14:30!

Tentei ligar para a cooperativa três vezes e só na última tentativa atenderam.  Nos 20 minutos de espera do táxi, deixei um recado com os vizinhos com o meu e-mail e o telefone  em caso de emergência. Justamente para evitar qualquer situação como a que ocorreu durante a viagem para a Venezuela.

O táxi chegou às 15:00.  O taxista tomou um susto com o tamanho da mochila( “A moça falou uma mochila normal!”).  Gostou do condomínio e quis saber se tinha casa para alugar. O porteiro até quis ajudar mas eu estava com pressa!  Quando o taxista soube que eu ia para Bolívia, tomou um susto.  Quando falei que ia também para o Peru, quis até encomendar uma lembrança  pois segundo ele em sua casa há uma enfeite de parece de uma escultura inca.

Pegamos engarrafamento em Realengo por causa de alguns trechos da Avenida Brasil estarem alagados.  Cheguei por volta das 16:00 no Terminal 1.  Descobri o balcão do check-in e tive a idéia de ligar para Ana.  Cadê o papel com o celular dela? Rá, perdi.  Liguei até para o trabalho mas não consegui a informação.  Não teve outro jeito a não ser esperar.

Poucos minutos depois, ela ligou. Estava na Anvisa (é necessário o certificado internacional de vacinação para viajar para Peru e Bolívia).  A mochila dela tem 50 L e ela queria levar na bagagem de mão.  Os funcionários da Gol informaram que não é permitido.

Em tempo: Para quem viaja de mochila e tem medo de estragar as alças ou sujar na esteira de bagagem, Gol e Tam embalam as mesmas em um saco plástico.  Fica a dica.

Fizemos o check-in e as malas seguiriam direto para Santa Cruz mas nós faríamos outro check-in em Guarulhos.  Foi somente no check-in que descobri que o meu voo era às 19:15 e não às 18:00! E eu quase tendo um treco achando que poderia perder o voo…

Voo GIG-GRU

Aeronave lotada. Sairíamos com um pouco de atraso.  Ao dirigir-se para a pista de decolagem , o avião não parava de tremer.  Mal sinal.  Minutos depois, o comandante informa que havia um problema na roda e que aguardaríamos a manutenção Gol verificar.

Problemas no Freio

Após quase uma hora, ouvimos o anúncio: “Senhoras e Senhores, aparentemente o problema no freio foi resolvido. O freio travou e isso não é uma coisa normal.

Pronto! O pânico se instalou! Os que tem medo de voar foram em direção a cabine do piloto falar com a comissária.

Fizemos amizade com Ana Beatriz que seguiria para Sucre numa viagem de 15 dias pela Bolívia e Peru.  Estávamos preocupadas com o horário da conexão.

Depois de um bom tempo, a comissária informou que os passageiros que queriam desembarcar, que acendessem a luz.  Praticamente todos os passageiros pressionaram o botão da luz de seus assentos.

Então, a comissária foi em cada passageiro, explicar a situação.  Quando chegou a nossa vez, uma mulher de Florianópolis estava até exaltada. Disse que passaria o final de semana lá e se tivesse que dormir, ia preferir dormir na casa dela no Rio.  Ela colocou um nariz de palhaço que estava dentro de sua bolsa.

A aeromoça disse que “aparentemente” na verdade é dizer que a aeronave está 100% segura para decolar.  Porém, como disse Ana B., como confiar no que ela diz se ela é funcionária da Gol?

Enfim, várias pessoas desembarcaram.  As que queriam ir para Florianópolis, creio que a maioria, foram obrigadas a descer.  Nós resolvemos arriscar e ficamos.

Voo rápido. Cinquenta minutos.  Ofereceram amendoim, rosquinha e bebidas.  Alguns passageiros brincaram perguntando se não havia bebida alcóolica.  A aeromoça disse que não pois se houvesse até ela tomaria devido a tensão.

O momento X, a hora da aterrisagem

A aterrisagem foi perfeit e os poucos passageiras que haviam na aeronave aplaudiram. Graças a Deus, chegamos!

Cadê a conexão?

Chegamos às 22:20.  Como o voo era Às 22:10, tínhamos certeza que a aeronave estaria esperando a gente.  Não estava.

Quem nos aguardava eram os funcionários da Gol. Fomos informadas que embarcaríamos no domingo (!) e que deveríamos pegar nossas malas e depois pegar o ônibus para o hotel Bristol.  A Gol informou que teríamos direito a todas as refeições, bebidas não-alcóolicas, internet por meia hora e uma ligação diária de 3 minutos.

Foi decepcionante ter que esperar até o domingo.  Isto significa ter que abdicar de conhecer algumas cidades.   Ao menos, conseguimos ocupar o nosso tempo durante estes dois dias de ócio.

 

Deixe seu comentário