Você está vendo os artigos na categoria “Ceará”

Onde comer em Jericoacoara

4 dezembro 2013

A idade vai chegando e os gostos vão mudando um pouco. Um dos sinais da rabugice  maturidade é que antes de viajar, procuro boas indicações de restaurantes em blogs de viagem e sites especializados como o Trip Advisor. Fiz uma listinha com alguns nomes e conheci boa parte. Até na primeira vez em 2010, sem querer, jantamos nos indicados.

Bom, como vocês já devem ter lido ou visto em algum lugar, Jeri tem basicamente cinco ruas: rua da Igreja (Matriz), rua do Forró, rua Principal, rua São Francisco e rua das Dunas. O vilarejo cresceu nestes últimos anos mas digamos que o “Centrinho” é formado por estas ruas.  A maioria dos restaurantes indicados estão entre a rua do Forró e a rua São Francisco.

Eis uma foto de um mapa que vi próximo a praça da Principal:

Mapa de Jeri

Da esquerda para direita: rua da Igreja, rua do Forró, rua Principal e rua São Francisco.

rua Principal

Para os dias de calor, dê um pulo na praça e tome um sorvete na Sorveteria Gelato Grano. Um sorvete com duas bolas custa R$ 7.

Não está a fim de jantar e quer comer um doce ou um salgadinho? Em frente a loja Pé de Areia (agora está em reformas, mas fica pertinho da Praça), à tarde, a barraca da Dona Bentinha está aberta para vender ótimos quitutes como torta e coxinhas a módicos R$ 3,50.  Repare que há um cuidado com a higiene: não há nada exposto, os pastéis e os salgados são fritos na hora, os bolos são cobertos com tampa. Tudo bem gostoso. Eu indico!

Para jantar: Restaurante Rústico e Acústico (bons preços e boa comida). O Rústica tem uma decoração tão bonita que me fez lembrar um pouco dois restaurantes de Natal: A Casa de Taipa e a Pizzaria Cipó Brasil. O atendimento não é demorado e ainda tem um menu com preços mais baixos em alguns pratos. Como cortesia, experimentamos o doce de caju. Outra boa indicação é o   Restaurante Leonardo da Vinci (aqui comemos uma bruschetta dos Deuses!) e  Casa de Pedra (crepes a R$ 18 – massa fina e recheio caprichado).  Aqui você come a luz de velas.

Outro doce com bastantes elogios é a torta de banana da Tia Angelita, no final da rua Principal – sentido entrada de Jericoacoara.

Beco do Forró

Perpendicular a rua São Francisco está o Beco do Forró, onde há um restaurante que agora me fugiu o nome mas suas paredes são de cor verde. Ali está sempre cheio. Em 2010, conhecemos um casal de paulistas que só jantava lá porque servem com fatura e a bons preços peixes, lagostas e outros frutos do mar.

rua do Forró

Se sua pretensão é almoçar com preço baixo a pedida é o  Restaurante Marisol (PFs a R$ 10 e R$ 12). En frente ao Marisol, está o tambem cheio, restaurante Dona Amélia, onde tem o forró. Um outro restaurante que fomos mas em 2010 mas segue muito elogiado foi o Cantina Jeri. Ali eu lembro de ter comido uma excelente  pasta com nozes.

rua São Francisco

Nas duas vezes que fomos, jantamos um dia no Sapão. Boa música ao vivo. Eu havia lido para pedir o “camarão com abacaxi”. Minha amiga pediu, disse que estava gostoso mas só que esqueceram de colocar o camarão! Que prontamente ao reclamar, fizeram outro prato. Para quem chega do forró, a dica é dar uma paradinha e comer um pão na Padaria São Francisco, que só abre na madrugada.

Lagoa do Paraíso

Olha, deve existir outras opções mas o nosso queridinho é o restaurante do Paulo (espaguete a matriciana por R$ 30). Não é só pela comida mas é pelas espreguiçadeiras, as redes, o ambiente calmo e a bela vista da lagoa do Paraíso.

Estas são as minhas dicas. No mais, curta a paz e aproveite Jeri!

 



Categorias: Brasil Ceará Jericoacoara
Tags:

Os passeios em Jericoacoara

3 dezembro 2013

Não tem tanta coisa para se fazer em Jeri  que caiba em uma semana, por exemplo. Para conhecer tudo, fique 3 dias inteiros. Sugiro deixar um dia para a praia Principal e a praia da Malhada. Reserve um momento para conhecer a famosa Pedra Furada. Nos outros dias, tem dois passeios de bugue superinteressantes: um mais tranquilo que conhecemos as lagoas Azul e a do Paraíso. O outro passeio de bugue, percorremos mais dunas e ingressamos em Camocim. Em qualquer um dos dias, assista o pôr-do-sol na Duna do Pôr-do-sol.  Não conte com o dia da ida e o dia da volta, porque são dias quebrados.

A Pedra Furada

Dizem que conhecer a Pedra Furada é uma furada! Nem tanto! Você pode chegar lá pela praia na maré baixa, seguindo pelo Serrote a pé ou de charrete (R$ 20).

Na primeira vez que fomos à Jeri, soubemos de um rapaz que guiava as pessoas até a Pedra Furada, percorrendo a trilha do Serrote. Vimos um grupo grande na rua Principal e um rapaz com uma caixa de isopor. Nós o seguimos. Ele tirou nossas fotos e pasmem, não cobrou por guiar o grupo. Ele ganha o dinheiro vendendo garrafa de água que leva dentro do isopor. Pegamos o pôr-do-sol lá. Voltamos no escuro, com um grupo de adolescentes cantarolando à beça.  Coroando um excelente dia no vilarejo.

Desta segunda vez, ao voltar do passeio nas lagoas, o bugueiro nos deixou num ponto onde poderíamos caminhar a pé. Erramos o caminho! Enquanto todos foram pela praia, nós fomos pelo Serrote e andamos muito mais. Estava ventando tanto que não tivemos coragem de descer. Uma pena! Desta vez, não deu para ir ao famoso cartão-postal!

A duna do Pôr-do-sol

Por volta do fim da tarde, as pessoas começam a seguir em direção a duna do pôr-do-sol para contemplar o sol se pondo.  Nesta segunda vez, não posso dizer que tive muita sorte pois o tempo estava nublado.

Passeio de bugue por Árvore da Preguiça, Lagoa Azul, Lagoa do Coração e Lagoa do Paraíso

Preço: R$ 160

O passeio passa pela árvore da Preguiça que é chamada assim pelo formato que tem por causa da força do vento.  O bugue segue pela praia do Preá e passa pela Lagoa Azul e a Lagoa do Coração. A parada é na Lagoa de Jijoca mais conhecida como a Lagoa do Paraíso.

Em época de cheia, para chegar até a Lagoa Azul, você pega uma balsa.

AVISO:  Há quatro anos não chove o bastante em Jeri para encher as lagoas. Fiquei chocada com o fato de não precisar mais de balsa para chegar à Lagoa Azul e como a Azul e a do Paraíso estão vazias. Mas continuam bem agradáveis para banho e aquelas redes ótimas para descansar. Como sugestão, peça para o bugueiro parar no restaurante do Paulo. Acho a comida lá excelente.

Se quiser voltar a Lagoa Azul por conta própria, saiba que saem D-20s  da rua principal para a Lagoa Azul. O preço é R$ 10. Pergunte o horário da volta ao motorista.

Passeio de bugue por Mangue Seco, Guriá, Velha Tatajuba, Nova Tatajuba e Duna do Funil e Lagoa da Torta

Preço: R$ 170

Este passeio nos leva a Camocim, município vizinho de Jijoca. Passamos por Mangue Seco e Guriú.

A próxima parada é em Velha e Nova Tatajuba. Aqui, Dona Delmira conta a história do soterramento de Tatajuba por causa da força dos ventos. Parada estratégica para quem quer comprar água e até tirar uma foto com um jegue.

O caminho é sempre percorrendo dunas. Como venta muito, é bom se proteger com canga e óculos escuros.  Na Duna do Funil, você pode descer de esquibunda e pagar para subir de quadriciclo. Da primeira vez que fui a Jeri, o bugue desceu a duna! Hoje, pelo que eu entendi, isto está proibido pois segundo o bugueiro, houve um acidente com um turista estrangeiro (será verdade?”)

Logo depois da duna, seguimos para a Lagoa da Torta, onde é a parada para o almoço. Aqui você  escolhe o seu prato (lagosta, peixe…). Quem não é chegado a peixe e a frutos do mar, prepare-se trazendo algum lanche porque as opções são só para beliscar como o queijo coalho e cocada vendida por ambulantes.

 

Ambos os passeios de bugue são excelentes e vale a pena fazê-los.

Roteiro para quem estiver indo pela primeira vez para Jericoacoara

A maioria das pessoas vem de Fortaleza, então eu vou partir deste princípio. A viagem é cansativa e se você vier de ônibus, os horários são meio ingratos. Sugiro não reservar nada para fazer no dia da ida e no dia da volta.

Dia 1 – Saída de Fortaleza para Jericoacoara. Deixe  este dia para fazer o check-in na pousada e bater perna no Centrinho, fechar passeios e reconhecer o terreno.

Dia 2 – Passeio de bugue para as lagoas Azul e do Paraíso

Dia 3 –  Passeio de bugue para Tatajuba e Lagoa da Torta

Dia 4 –  Praia (acho que alguns quererão ir para a Lagoa do Paraíso novamente).

Dia 5 – Volta para Fortaleza

“_ Pat, eu só tenho duas noites em Jeri. Vale a pena ir?”

Como diria o poeta, “tudo vale a pena se a alma não é pequena” mas (por que sempre tem um mas na vida, né?) eu acho que se você tiver mais dias para lá, fique estas 4 noites inteiras porque eu sou do time em que não se pode perder mais tempo no deslocamento do que conhecendo o lugar em si. São no total doze horas de deslocamento (se vier de ônibus, sem contar que duas destas horas é para ficar sacolejando nas dunas”. Faça valer a pena o desconforto (e vai valer, com certeza!). Eu ia preferir me concentrar nos arredores de Fortaleza e deixar Jeri para uma outra oportunidade.

Um outro conselho que eu posso vender é não crie expectativas. A Natureza tem suas vontades próprias. Eu e uma amiga fizemos uma propaganda danada de Jeri para uma amiga em comum mas desta vez que fomos, não vimos aquele encantamento… Até esgoto vimos na praia. Que pena!  Talvez seja a segunda vez,  que quebra um pouco a magia mas uma das coisas que mais fiquei surpresa foi com a secura da lagoa Azul!  Então, gente… vá com intuito de se divertir ou descansar mas vá com mente aberta para não se decepcionar pois nem sempre o período que a gente vai significa que veremos as fotos maravilhosas que achamos na internet.

Eu continuo gostando de Jeri e pretendo voltar fazendo-a de ponto final da rota das Emoções (Lençóis Maranhenses, Delta do Parnaíba e Jericoacoara).

 

 



Categorias: Brasil Ceará Jericoacoara
Tags:

Jericoacoara

3 dezembro 2013

Há lugares que a gente conhece e jura para si mesmo um dia voltar. Um desses lugares por onde andei e sonhava em voltar é Jericoacoara, por ser um lugar que deixou ótimas lembranças. Lugar diferenciado de tudo que eu tinha visto até então. Tive a oportunidade de voltar à Jeri agora em novembro.

Entenda Jericoacoara

Jericoacoara é um antigo vilarejo de pescadores, localizado a 350Km de Fortaleza, que ficou conhecido mundialmente quando o jornal inglês “The Guardian” colocou a praia principal de Jeri como uma das 10 mais bonitas do mundo.  O melhor de Jeri é o clima rústico: as ruas são de areia fofa, não há postes nem calçadas. A iluminação está nas casas e estabelecimentos comerciais. O charme da vila aparece principalmente à noite quando as mesas dos restaurantes são iluminadas por velas. Um bom destino para casais (o que não quer dizer que não seja para amigos e famílias). Se você gosta de kitesurf e windsurf, saiba que aqui é o seu lugar, principalmente entre os meses de agosto e novembro, quando os ventos são muito fortes.

Apesar da praia ser mundialmente famosa, o melhor passeio é deitar na rede das lagoas Azul e a lagoa do Paraíso, cujo nome realmente faz jus. É um lugar para descansar e se desligar da urbanidade.

Mapa Jericoacoara 2 -800px

 

Atenção!

Não é preciso levar muita coisa na bagagem. Traga roupas leves e um par de chinelos. Seu par de salto alto não servirá de nada por aqui.

Apesar de ser um lugar lindo e que todos devem conhecer, não acho um lugar recomendável para crianças pequenas (só há um postinho na vila e a distância até Fortaleza é grande) e pessoas com dificuldade de locomoção (porque as ruas são de areia fofa).

 

Como chegar

Para chegar, são 300Km pelo asfalto até Jijoca – a cidade a qual o vilarejo pertence, e pouco mais de 30Km percorridos entre as dunas no trecho Jijoca – Jericoacora.  É recomendável que use veículos 4 x 4. Há vários modos de chegar que atendem a todos os bolsos e gostos.


Ônibus


Ônibus da empresa Fretcar 

A única empresa que faz o trajeto oficial de ônibus Fortaleza – Jericoacoara é a Fretcar.  Os ônibus saem diariamente da rodoviária Eng. João Thomé e dependendo do horário, param no aeroporto e na avenida Beira Mar. A viagem dura em torno de  7h.  São 6h de Fortaleza até Jijoca, pelo asfalto. Ao chegar em Jijoca, os passageiros saem do ônibus e pegam uma jardineira (veículo 4×4) da própria Fretcar.  Este trajeto dura cerca de uma hora. O  ponto final é na rua do Forró, em frente a Agência Global Connection. Para chegar até a sua pousada, é necessário caminhar ou pegar um táxi-bugue que cobra de R$ 10. O serviço pode ser VIP (direto) ou executivo (com paradas e ônibus com ar condicionado e banheiro). Pontos de embarque

  • Rodoviária de Fortaleza João Thomé
  • Aeroporto – Não existe um ponto de parada com sinalização para embarque e geralmente os mesmos ficam localizados no final do desembarque (saída do lado esquerdo do portão de desembarque).
  • Hotel Praiano (Av. Beira Mar, 2.800 Meireles)

Os horários de saída de Fortaleza-Jericoacoara são:

  • Manhã: 08:00 (aeroporto), 08:45 (Av. Beira Mar). VIP sem paradas. Os ônibus das 08:00 tem parada para almoço no restaurante Castelo encantado de Acaraú.
  • Tarde:  16:00 (aeroporto), 16:50  (Av. Beira Mar). VIP sem paradas.
  • Noite: 18:30 (rodoviária). R$ 42 – Executivo com paradas

De Jericoacoara-Fortaleza:

  • 08:00 (VIP, direto), 14:45 (VIP, direto) e 22:35 (Executivo). Todos saem em frente a Agência Global Connection, na Rua do Forró.

Preço do ônibus:  VIP – R$58 / Executivo – R$ 42,85

Onde comprar as passagens da Fretcar?
Em agências autorizadas pela Fretcar, como a “Open Point” no Aeroporto de Fortaleza [ (85) 3392-1917 ] ,  a “Beach Point” [ (85) 3242-2911/3086-7055 ], na Av. Beira Mar 2915 (Praia do Meireles) em Fortaleza ou a Agência Global Connection  [ (88) 9900-2109] em Jericoacoara.


De carro


De carro
Você segue pelo asfalto até Jijoca. Lá, deixe seu carro em uma pousada da cidade. Em 2010, deixamos o carro no estacionamento da pousada Sol Nascente (hoje é Pousada Sol Poente). Na época, a diária custava R$ 7,00. Em Jijoca, pegamos a D-20 (carro adaptado para levar passageiros) para Jericoacoara. O preço continua o mesmo: R$ 10. Duração da viagem: 40 minutos.


Transfer 4×4


De transfer 4 x 4 pelo asfalto
Você pode agendar transfer em 4×4 (geralmente, em Hillux) para Jeri. Os preços variam. Pagamos R$ 500  a Hillux (capacidade 4 passageiros) desde o aeroporto de Fortaleza até Jeri. A viagem dura de 3h40 a 4h (depende do trânsito em Fortaleza). DICA: Se pretende voltar para Fortaleza de 4×4, quando estiver em Jeri, já procure agências para deixar seu nome pois não é tão fácil fechar o carro ainda mais em baixa temporada. Conseguimos fechar o carro a R$ 350 em Jeri. Mas o preço normal mesmo na baixa é R$ 400.

De transfer 4 x 4 pelas praias
Uma boa ideia para quem tem pouco tempo em Fortaleza e uma forma de amenizar a distância de Jeri a Fortaleza, conhecendo outras praias. Leia o relato no blog O Tour Nosso de Cada Dia: Preços: De R$ 900 a R$ 1.000

Programe-se!

Nosso voo chegava no aeroporto às 17:00. Como a ideia era ir para Jericoacoara direto, planejamos em pegar o ônibus de 18:30.  Uma amiga que já estava em Fortaleza nos avisou que o ônibus das 18:30 não pára no aeroporto. Imagine o pânico! Decidimos não despachar a bagagem e rezar para que o voo não chegasse atrasado em Fortaleza. Eu havia ligado antes e o rapaz me informou que uma corrida de táxi do aeroporto para a rodoviária levaria de 15 a 30 minutos dependendo do trânsito de Fortaleza.  Estava tudo cronometrado. Deu tudo certo, chegamos a tempo! Eu sei que se conselho fosse bom, a gente venderia mas eu vou dar o meu mesmo assim: confirme antes com a Fretcar os horários e se o ônibus parará no aeroporto ou na Av. Beira mar. Nós acabamos não indo de ônibus. Logo que saímos do portão do desembarque, vimos o balcão de informações e o balcão da Openpoint tur. Quando íamos comprar a passagem, um homem apareceu oferecendo o transporte 4 x 4 em Hillux e que já tinha um casal aguardando. Além disso, informou que a duração da viagem era de 4h. Resumindo, chegaríamos às 22:00 em vez de 01:00 da manhão. Pagamos os R$ 125 por pessoa. A viagem foi agradável  e rápida. Muito bem pago.

Quando ir

De agosto a novembro: ideal para os praticantes de kitesurf e windsurf. Venta à beça!  Sugiro os meses de junho e julho. Em julho, o sol se põe no meio da Pedra Furada.

Duração da viagem

Reserve no mínimo 3 dias inteiros, sem contar com o dia da ida e o dia da volta. Um dia para fazer o passeio para as Lagoas Azul e Paraíso (Lagoa de Jijoca), um dia para conhecer Tatajuba e o último dia para conhecer as praias de Jeri (a Principal e a Malhada) e caminhar pela Pedra Furada. Apreciar o pôr-do-sol na Duna do pôr-do-sol você pode fazer qualquer um dos dias, na volta de um dos passeios.

Onde ficar

O vilarejo só tem cinco ruas (Igreja, Forró, Principal e São Francisco). Fique o mais perto possível da Praça Principal, entre as ruas do Forró e rua das Dunas. Da primeira vez, fiquei na Pousada Papaya (ótima! tem um quarto com vista para a Duna do Pôr-do-Sol). Nesta vez agora ficamos na Pousada da Renata. Esta é mais longe do Centrinho (quinze minutos de caminhada em areia fofa) e apesar dos elogios no Booking e Trip Advisor e da simpatia da dona da pousada, ainda sim prefiro a Papaya, que estava lotada no período que fomos.

Para os bolsos magros, há uma pousada da juventude na rua São Francisco e há a pousada Isalana (R$ 80 o quarto duplo). Para os bolsos gordos, há a Blue Jeri, a antiga Mosquito Blue.

Estão construindo uma pousada em frente a praia, parece que fará parte do complexo Blue. Que construção horrenda! Nada a ver com a vibe do lugar! #prontofalei.



Categorias: Brasil Ceará Jericoacoara
Página 1 de 1 1