Você está vendo os artigos na categoria “Paraná”

O lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu

23 abril 2012

Manhã com um frio de 8°C em Foz do Iguaçu.  Uma surpresa!  Após o café, fomos para o terminal TTU pegar o ônibus para o Parque Nacional Iguaçu.  A linha de ônibus é Aeroporto/Parque Nacional.  A passagem custa R$ 2,65. O ponto final é em frente ao Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu.  A viagem Do TTU até as Cataratas dura uns 40 minutos.

 

Logo na entrada, percebemos que há um grande números de estrangeiros.  A maioria acompanhada por guias.  A entrada do parque possui preços diferenciados para brasileiros, estrangeiros de países integrantes do Mercosur e de outros países.  É aceito dinheiro (real, dólar ou peso argentino) , cartão de débito e cartão de crédito.  Estudantes, idosos e clientes do Itaucard têm desconto. Por falar em Itaucard, o desconto só é válido para o titular do cartão. Não vale para comprar para esposa, filhos e sobrinhos.  A entrada para brasileiros custa R$ 24,60.

Há uma loja com vários souvenirs e preços proibitivos.  Após pagar o ingresso, siga a multidão para pegar o ônibus que leva os turistas  a seguir pelo parque.  O ônibus tem dois andares e a cada parada há uma gravação com informações em português, inglês e espanhol. A título de curiosidade, cada ônibus tem o desenho de um animal como o quati, o tucano e o mico.

O percurso do ônibus é mostrado no mapa fornecido no guichê de pagamento da entrada do parque e disponível no site oficial:

Fonte: http://www.cataratasdoiguacu.com.br/portal/images/pages/images/cataratas-do-iguacu-mapa-do-parque.jpg

Imagine com aquele frio de manhã, a gente no segundo andar do ônibus e aquele vento gelado no percurso do ônibus pela mata.

Caso você queira ir direto ver as cataratas, desça na parada Estação Cataratas. A parada é em frente ao hotel Cataratas.  De lá até o ponto da passarela, são 1.200m.

Ao descer na estação Cataratas, logo no início do percurso, há vários fotógrafos que se oferecem para tirar sua foto com as quedas ao fundo (lado argentino).  Também dá para observar que há pessoas andando sobre passarelas no lado argentino (comento em outro post). Outro fato a registrar é a presença de quatis.  Aliás, no ônibus é enfatizado ao turista para não alimentá-los.

Não tem muito o que dizer sobre o parque.  Há vários pontos para tirar fotos e contemplar a paisagem.  Aliás, estes lugares, ao menos na época que fomos, eram bem disputados.

De lá, pegue o elevador e tenha a vista panorâmica do local:

Saímos de lá satisfeitas e pegamos o ônibus para ir a estação Macuco Safári.

 


Foz do Iguaçu – o resumo

1 abril 2012

Cataratas do Iguaçu, um pouco de História e Geografia

Em 1542, o espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca, ao navegar pelo rio Iguaçu procurando um caminho alternativo para chegar em Assunção, capital do Paraguai, descobriu acidentalmente uma região com várias quedas d’água e batizou com o nome de Saltos de Santa Maria, o que hoje  é conhecido mundialmente como  Cataratas do Iguaçu ou  Cataratas del Iguazú, em espanhol.   Iguaçu em tupi-guarani significa água grande.

Muita gente acha que as Cataratas só pertencem ao Brasil.  Na verdade, elas estão na divisa Brasil e Argentina.  Em cada país, foi criado um parque nacional com o objetivo de preservar a região e promover o turismo:  Parque Nacional do Iguaçu, no Estado do Paraná, Brasil e o Parque Nacional Iguazú, em Missiones,  Argentina.  Ambos são considerados Patrimônios da Humanidade pela UNESCO.

As cataratas do Iguaçu são formadas por 275 quedas d’água isoladas que em tempos de cheia chegam a 19 saltos grandes onde apenas 3 pertencem ao Brasil (Floriano, Deodoro e Benjamin Constant).

Na minha opinião, os dois lados se complementam. Como a maior parte dos saltos está do lado argentino e estes estão voltados para o Brasil, a melhor visão é do lado brasileiro.  As melhores fotos serão feitas quando estiver no Brasil. Entretanto, é no lado argentino que chegamos mais perto dos saltos. Ah, sim e eles têm a Garganta do diabo, só por causa disto já vale e muito a viagem.

Em 2011, as Cataratas foram escolhidas como uma das sete maravilhas da natureza, uma eleição promovida pela Fundação New 7 Wonders.

Veja o mapa 3D das Cataratas:
http://www.airpano.ru/files/brasil/iguasu/start_e.html

Documentação

Para Foz do Iguaçu, RG ou qualquer outro documento válido. Para o Paraguai, não sei dizer pois não há um posto fronteiriço oficial em que as pessoas tem que obrigatoriamente entrar para ter a sua entrada autorizada, como é o caso da Argentina. Você entra no Paraguai e ninguém te questiona. Como o país faz parte do Mercosul, leve o RG.  Se você pretende ir à Argentina,  são aceitos o RG (não é válido OAB, CREA e similares) ou passaporte ou CNH.

As particularidades sobre o uso da CNH na Argentina está no Acordo entre localidades fronteiriças Brasil – Argentina. Veja o link: http://www2.mre.gov.br/dai/b_argt_402_5639.htm

  • Pode entrar com a CNH na fronteira Brasil – Argentina e apenas para Puerto Iguazú;
  • A CNH é válida por 72 horas no país vizinho;
  • O agente pode exigir outros documentos caso não aceite a CNH.

Resumindo: leve o RG e/ou a CNH .

Quando ir a Foz do Iguaçu

No site das Cataratas diz que o mês de maior vazão de águas é outubro e o menor, abril.  Esta semana, a última de março, fez frio de oito graus pela manhã em Foz!  O que foi uma surpresa, pois eu havia visto a previsão do tempo.Vindas do Rio de Janeiro com temperaturas acima de 30°, foi um susto! Então, leve um casaco para descargo da consciência.

De qualquer forma, sempre antes de viajar, veja a previsão do tempo do seu destino ou ligue para o hotel perguntando sobre o clima.

Atualização: A segunda viagem foi no mês de Novembro, e contrariando o parágrafo acima, a vazão de águas estava bem menor que a de Abril (2012 foi um ano de poucas chuvas no país, no geral).  Pegamos um dia de muita chuva e dois com sol, onde aproveitamos e fomos às Cataratas.

Duração da viagem

Sempre li que em um final de semana dava para conhecer Foz do Iguaçu. Concordo em parte. Se quiser conhecer por completo o lado argentino, Itaipu e ainda gastar uns trocados no Paraguai, acho que três dias inteiros é um bom número.

 O roteiro


1° dia: Parque das Aves e Cataratas (lado brasileiro)

 

Parque das Aves

O parque das Aves é um lugar onde você pode observar diversas espécies de aves do país e de outros lugares. há um borboletário e o visitante pode entrar na gaiola das araras.

Como chegar 
De transporte público, basta pegar o ônibus Aeroporto/Parque Nacional.  A passagem custa R$ 2,65. O ponto final é em frente ao Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu.  A viagem Do TTU até as Cataratas dura uns 40 minutos. Diga ao motorista que vai descer no Parque das Aves.

Coisas que ninguém te disse sobre o Parque das Aves

  • Já fiz o passeio em dois horários diferentes. Entrar no viveiro das araras à tarde é assustador! As araras não param de fazer rasantes e gralham como nunca. Morremos de medo…rs Depois o rapaz que ajuda a cuidar delas, disse que já estava perto da hora da alimentação (não sei se ele pregou uma peça na gente, né?). Da segunda vez, fui pela manhã. Bem mais calmo!
  • É um ótimo passeio para crianças e para pessoas urbanas. A gente vive em cidades e desacostuma a viver com a natureza.

Cataratas do Iguaçu

O lado brasileiro tem melhor infra-estrutura para o turista porém é menor que o parque argentino. Há a comodidade do ônibus circulando pelo parque.Você consegue conhecer as Cataratas em uma tarde.  A caminhada da estação Cataratas até o mirante para a Garganta do Diabo é de 1.200m.

Como chegar
De transporte público, basta pegar o ônibus Aeroporto/Parque Nacional.  A passagem custa R$ 2,65. O ponto final é em frente ao Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu.  A viagem Do TTU até as Cataratas dura uns 40 minutos.

A entrada para brasileiros custa R$ 24,60 e pode ser paga em dinheiro, cartão de crédito ou débito. Estudantes, idosos e clientes do Itaucard têm desconto.

O que levar 
(a) Leve sapato confortável para caminhar, filtro solar, repelente e água. Até um lanchinho se bater uma fome e não der tempo para almoçar no parque. O bom é levar uma mochila pequena para andar tranquilamente no parque;
(b) Em mês de vazão de águas forte, talvez precise de uma capa de chuva simples. Ela pode servir para a passarela em que conseguimos ver a base da Garganta do diabo.  De vez em quando, há uma “névoa”(spray de água) que molha você e sua câmera.

Para saber mais

Site: http://www.cataratasdoiguacu.com.br
Mapa: http://www.cataratasdoiguacu.com.br/portal/images/pages/images/cataratas-do-iguacu-mapa-do-parque.jpg

Macuco Safári

O Macuco Safari é um passeio de bote pelas águas do rio Iguaçu. Qualquer pessoa pode participar, inclusive crianças de um ano. O passeio começa com o grupo passeando por um “trenzinho” que passa pela mata. Algumas paradas são feitas para o guia mostrar algumas espécies de árvores. Depois, quem desejar desce do trem e acompanha o guia para uma caminhada onde o ponto final é o receptivo de onde saem os botes. Quem não quiser fazer a caminhada, troca de condução e segue até o receptivo.

O passeio do Macuco é caro mas vale muito a pena fazer. Aconselho a deixar este passeio por último, pois você sai de lá molhado e feliz,  fechando com chave de ouro o dia.

O que levar para o Macuco Safári

Leve um par de chinelos, uma toalha e  roupa adicional (que será molhada no passeio) ou faça como os gringos e traga sua roupa de banho.  Há vestiários para trocar de roupa. Ao custo de sete reais, você pode alugar um armário e deixar seus pertences.

Coisas que ninguém te disse sobre o Macuco Safári

  • Não sente nos assentos que ficam na popa (atrás do bote). O pessoal do Macuco filma o passeio e tira fotos das pessoas para depois vender o CD mas quem senta atrás é praticamente esquecido;
  • Não adianta levar capa de chuva comum. Não tem como não se molhar neste passeio! Se o calor estiver forte, o que mais vai desejar é se refrescar.
  • Se tiver, leve a sua câmera a prova d’água para tirar suas próprias fotos do passeio. E já no começo, molhe-a logo no rio para não embaçar depois.
  • O ideal é fazer o passeio do Macuco por último.

 

2° dia: Cataratas (lado argentino)

Cataratas del Iguazú, o lado argentino das Cataratas

O lado argentino é bem maior.  Prepare-se para caminhar bastante.  Mas não é nada impossível!  Não há ônibus porém há uma viagem de trem que leva para conhecer a Garganta do diabo, a maior queda d’água com um volume de água assustador.  Se quiser conhecer todo o parque, reserve um dia inteiro para tal. Se estiver com crianças e com idosos e quiser conhecer todo o parque, reserve dois dias. Há uma promoção para aqueles que vão mais uma vez ao parque. Informe-se na bilheteria.

Como chegar
De transporte público:  São dois ônibus: um para Puerto Iguazú que o ponto final  é no terminal rodoviário e de lá, outro para as Cataratas Argentinas.

Pegar o ônibus Foz do Iguaçu/Puerto Iguazú. Há três empresas que fazem estre trajeto.  A passagem custa 8 ARS (oito pesos) ou 4 BRL (quatro reais). A viagem durou aproximadamente 30 minutos.  O ônibus pára na Aduana argentina para os passageiros fazerem o processo de entrada no país.  Depois, os passageiros esperam o ônibus cruzar

O ponto final do ônibus é o terminal rodoviário de Puerto Iguazú.  Alguns passos a frente, há o balcão da empresa El Practico que faz o trajeto Puerto Iguazú – Cataratas.  A viagem levou pouco menos de meia hora e a passagem custa 10 ARS (dez pesos) ou 5 BRL (cinco reais).  Se não trouxe pesos, você consegue cambiar reais por pesos ali mesmo no balcão na taxa de 1:2, ou seja, um real vale dois pesos.   O ônibus El Pratico é da cor amarela.

Dica de ouro: Se já tiver pesos, peça ao motorista do ônibus para Puerto Iguazu indicar o ponto mais próximo para pegar o El Practico para as Cataratas, assim você não precisa ir até ao Terminal Rodoviário.  Economizará um bom tempo.

Por agência: Nas agências, o custo de ida e volta é R$ 65. Saída às 09:00 e volta ao Brasil às 17:00.

O que levar

  • Leve RG (não vale OAB, CREA e similares) ou CNH (só vale para Puerto Iguazú!) ou passaporte.
  • Faça câmbio em Foz do Iguaçu pois o Parque Argentino só aceita pesos.  Você consegue pagar as passagens de ônibus em reais mas o câmbio é desfavorável.  Atualmente, estão praticando o câmbio real-peso em 1:2.
  • Leve tênis pois há muita caminhada, filtro solar, repelente e água. Até biscoitos se bater uma fome e não der tempo para almoçar no parque.
  • Se fizer o passeio de barco (Gran Aventura ou Sendero Macuco), leve roupa adicional e toalha e já venha com biquíni, maiô ou sunga. Não tem como não se molhar nestes passeios!

Como é o passeio?

Brasileiros pagam 70 pesos pela entrada. A filosofia do parque argentino é diferente do brasileiro.  Não há ônibus para levar aos pontos de observação. Aqui há muita caminhada.  A única diferença é o trem que leva a maior queda d’água do parque, a Garganta do Diabo. O parque é grande e realmente se quiser fazer todos os passeios, você tem seu dia preenchido.

Você percorre o lado argentino por três trilhas: o Circuito inferior, o Circuito Superior e Garganta do Diabo. Além disso, se pode visitar a  isla San Martín e fazer o passeio de barco  Gran Aventura e Sendero Macuco.

A Garganta do diabo

O ponto alto do passeio sem dúvida alguma é a Garganta do Diabo, a maior queda d’água das Cataratas.  Só se chega perto de trem.  O trem você pode pegar na estação Central ou na estação Cataratas.  Se pegou na estação Central, você terá que descer na próxima estação, que é a Cataratas e ir para o final da fila esperar o trem para estação Garganta do diabo.  Há a opção de andar até a estação Cataratas, esta trilha é chamada de Sendero Verde.  Acho melhor do que esperar o trem, pois o caminho é curto.  Ao chegar na estação, saiba que ainda terá que andar um bocado até chegar pertinho da Garganta.  As passarelas são em piso gradeado mas não é perigoso.

Trilha Circuito Superior

É curta e o barato é caminhar perto de onde começam as quedas.  São as passarelas do Circuito Superior que conseguimos ver lá do lado brasileiro.

Trilha Circuito Inferior

A mais longa. Neste caminho há a bifurcação para quem quer fazer o passeio do Sendero Macuco e para quem quer visitar a isla de San Martín. Em alguns pontos do trecho observamos do alto os turistas que fazem o passeio do Macuco Safári e o do Sendero Macuco.

Isla San Martín

Ao longo do circuito inferior, há a entrada para pegar o barco para Isla San Martín. Da ilha, se pode observar as quedas que só se consegue ver no lado argentino. Alguns visitantes aproveitam um pequeno trecho da ilha para fazer uma “praia”.

Gran Aventura e Sendero Macuco

Pouco depois de entrar no parque, há um quiosque sobre os passeios de bote argentino.  Eu não fiz o passeio mas eu observei lá do Circuito Superior o percurso e a minha opinião é que é mais radical que o brasileiro. Mais barato também. No mapa do parque, há a diferença dos percursos dos dois passeios.

Coisas que ninguém te falou sobre o parque argentino

  • O parque oferece desconto para quem quer visitá-lo em dois dias seguidos. Para isso, antes de ir embora no primeiro dia, vá a bilheteria para que atendente carimbe o seu bilhete. No segundo dia, você paga a metade.
  • Ir em dois dias foi uma boa estratégia para ir com idosos e crianças de colo e que não dá para levar na bolsa canguru. Em um dos dias, uma boa combinação é o parque mais o Dutty free de Puerto Iguazú;
  • Dá para levar o carrinho de bebê para a Garganta do Diabo e Circuito Superior.  O pessoal põe os carrinhos em cima do trem. Há serviço de aluguel de carrinhos. Veja na estação Central.
  • Em alguns pontos do parque, há bebedouros.
  • Se estiver em grupos com mais de 3 pessoas, talvez compense fechar o transporte com um taxista. Sai mais barato que nas agências e você faz o seu horário.

Para saber mais
Site: http://www.iguazuargentina.com/portugues/
Mapas: http://www.01argentina.com/sitio/map_iguazu_falls_mapa_national_park.html
http://www.jtorres.com.ar/blog/wp-content/uploads/2009/08/Infografia_Iguazu.jpg

Se ainda estiver com pique, aproveita a viagem e pare no Dutty-free Puerto Iguazú  para fazer umas compras. Os preços são menores do que o Brasil. Mas com relação a perfumes, os preços são mais baixos no Paraguai, achando as lojas certas. De qualquer forma, para bebidas e chocolates é o Dutty-free é o melhor lugar para comprar.

 


3° dia: Paraguai e Itaipu

Paraguai

Ciudad del Este dispensa apresentações.  O lugar é feio, mais cheio que a 25 de março mas não tenha dúvidas que lá, procurando bem, dá para achar produtos originais e com bons preços. O Shopping del Este é um oásis no meio daquela confusão.

Como chegar
Transporte público: pegar o ônibus escrito Ciudad del Este.  A passagem custa R$ 3,50.  A viagem é rápida.  Desça no primeiro ponto logo após passar a aduana paraguaia. Aproveite e pergunte ao motorista onde pegar o ônibus na volta.

Van Leva-e-Traz: Há várias agências que fazem o serviço leva-e-traz.  Usamos o serviço da Iguassu turismo e recomendamos. Horário de saída do hotel é 07:30 e a volta pode ser às 12:00 e às 15:00.  Preço: R$ 35,00.  A van te deixa no Shopping del Este, praticamente em frente a Aduana do Paraguai.

Táxi: Combine o preço com o taxista. Como a van Leva e Traz, o taxista marcará um horário para buscá-lo no Shopping del Este.

Onde comprar
Shopping del Este: um lugar que você imagine que não esteja no Paraguai. Muitas lojas de cosméticos. No terceiro andar há uma praça de alimentação.

Eu não sou uma especialista em Paraguai. Os perfumes geralmente eu compro na Elegancy. Já os kits, chocolate, bebidas e lógico, alfajores, melhor comprar no Duty-Free.

Para a mulherada, um bom blog é o Paraguai Pink. Tem um post com o mapa de compras no Paraguai. Antes das compras, sugiro dar uma lida na página  http://www.paraguaipink.com.br/ajuda/

 Mapa: Digite no Google “mapas compras Paraguai”  , escolha Imagens e você encontrará vários mapas com a localização das lojas mais confiáveis.

Coisas que quase ninguém fala sobre compras no Paraguai

  • As compras podem ser pagas em dólar ou em real. Cada loja tem a sua cotação dólar x real. A nota fiscal vem em guarani (moeda oficial do Paraguai);
  • Ao comprar eletrônicos, sempre teste antes de ir embora. As grande lojas tem um balcão só para testes;
  • Não exagere nas compras, o limite de compras é de 300 dólares. E esta cota só pode ser usada com intervalos de 30 dias.
  • Se passar da cota, o correto é declarar e pagar o imposto;
  • Se não declarar e estando acima da cota, você corre riscos de ser pego na ponte da Amizade (fronteira entre Brasil e Paraguai).
  • Mesmo que tenha passado pela Receita na ponte da Amizade, saiba quem no aeroporto de Foz do Iguaçu há um raio X onde a bagagem de todos devem ser inspecionadas antes de se fazer o check-in na companhia aérea. E para quem vai de carro, há também as fiscalizações na estrada;
  • Antes de ir, sempre procure saber sobre as regras de compra no Exterior;
  • Não é lugar para crianças! Em muitas lojas há seguranças com armas e não é revólver 38….
  • A rua principal vira um caos quando chove. Enche muito rápido.
  • Há sinal de celular no Paraguai. Falo da TIM porque meu celular da Oi serviu de relógio.

Usina de Itaipu

Como chegar
Do TTU pegar o ônibus “Conjunto C Sul” ou “Conjunto C Norte.

O que visitar
Há duas formas de conhecer a faraônica Itaipu: a visita panorâmica (somente a área externa em ônibus de dois andares) e o circuito especial (área externa e interna). Antes do passeio, há um vídeo que conta a história da construção do complexo.  Fiz o circuito especial, vale a pena, para quem gosta de grandes obras da engenharia.

Há mais o que conhecer no complexo hidrelétrico como o refúgio biológico Bela Vista, o passeio de catamarã, etc.

Para saber mais
site: https://www.turismoitaipu.com.br/

 

Outros passeios

Outros passeios

Marco das Três Fronteiras

Templo Budista

Mesquita

Cassino

No Brasil, praticamente todos os passeios oferecem desconto para idosos. Ah e se quiser ficar uma semana, há o que fazer nos parques nacionais e em Itaipu. Dê uma olhada nos sites e tire suas dúvidas.  Outra dica é programar sua viagem para o período de lua cheia pois há um passeio chamado Luau nas Cataratas. Outra sugestão é ficar por mais dias em Puerto Iguazú. Se você for ao Paraguai,  provavelmente vai querer voltar para “olhar” com mais calma. Então, melhor colocar mais um dia no roteiro.

 Viagem realizada em março e novembro de 2012


Foz do Iguaçu – roteiro planejado

25 março 2012

Finalmente depois de tanto tempo conhecerei as Cataratas do Iguaçu, eleita uma das sete maravilhas da Natureza.  Serão cinco dias para conhecer as principais atrações de Foz do Iguaçu e arredores.

Documentos

Identidade, CNH (apenas para a região das três fronteiras) ou passaporte. Estou levando a CNH e o passaporte.

Dinheiro

Recomendaram-me a levar reais ou dólares para ser usado no Paraguai.  O Dutty Free aceita cartão, dólar, reais e pesos. Antes de viajar, lembre-se de pedir o desbloqueio do cartão de crédito internacional.

Deslocamentos

Usaremos transporte público a torto e a direito. Só na ida ao Paraguai é que estamos pensando em ir de van ou de táxi.

Hospedagem

Reservamos o hotel Best Western Tarobá por indicação de um amigo.  A diária do apartamento duplo está R$ 170 reais em março/2012.

O roteiro

1° dia – Chegada em Foz do Iguaçu + Noite em Puerto Iguazu

Seguindo o conselho de um amigo, vamos ao Dutty free da Argentina já no dia de chegada.  Há transfer gratuito do hotel para lá.  Seguindo dica de outra amiga, reservarei a van um dia antes.

2° dia –  Parque das Aves + Cataratas do lado brasileiro + Macuco Safári

Parque das Aves
Ingresso:  R$ 18,00

3° dia –  Cataratas del Iguazu + Marco das Três Fronteiras + Noite em Puerto Iguazu
Cataratas del Iguazú
Ingresso para integrantes do Mercosul: ARS 70,00
Percorrer as trilhas Garganta do Diabo, Circuito Superior e Circuito Inferior. Ao final, fazer o passeio náutico Gran Aventura.

Noite em Puerto Iguazú
Jantar  em Puerto Iguazú e depois tentar a sorte no cassino.
Restaurantes recomendados:  El quincho de Tío Querido, Te amaré Maitena, Aqva, La Rueda, Pizza Color.

4° dia –  Paraguai + Templo Budista + Mesquita + Itaipu (circuito especial) + Iluminação da barragem.

Compras em Ciudad del Este
Mais uma experiência antropológica: fazer compra no paraíso dos sacoleiros. Eu quero aproveitar e comprar uma câmera digital compacta e um GPS. Ainda mais depois de ter pago R$ 17 a diária de aluguel à Localiza em Florianópolis. Talvez uma ou outra coisinha (cremes da VS e um perfume). Enfim, nada que ultrapasse a cota de USD 300,00. Estou levando uma lista de lojas confiáveis. Tentarei me controlar pois tenho intenções de ir aos EUA este ano.

Itaipu – Circuito Especial
Sempre quis conhecer Itaipu. Apesar do crime de ter acabado com as Sete Quedas, não há como negar que é uma grande obra da Engenharia. Quando estava na faculdade, houve uma excursão para o pessoal da Civil (é, em um passado distante eu cursei Engenharia). Que vontade de ir!   O circuito especial é passeio sob medida para quem quer conhecer as áreas internas do complexo. A duração do passeio é de 2h30.  O ingresso custa R$ 56,30.

A idéia é fazer o passeio no último horário e já ficar para fazer o passeio Iluminação da Barragem que é nada mais que ver as luzes da barragem à noite. Ingresso: R$ 13,20. Horário: 20:00  (Nota da blogueira: estou pensando bem se valerá a pena ver a iluminação).

5° dia –  Volta ao Rio de Janeiro
Como a volta é à tarde, talvez dê tempo para um pulinho em CDE, novamente.


Página 1 de 1 1