Você está vendo os artigos na categoria “Planejamento”

Lencóis Maranhenses: índice de posts

17 julho 2015

Planejamento Lençóis

Planejando sua viagem para São Luís e Lençóis Maranhenses

Lençóis Maranhenses: dicas e planejamento

Lençóis Maranhenses: os passeios recomendados

Lençóis Maranhenses: roteiros

Lençóis Maranhenses: comes e bebes

São Luís em dois dias: roteiro e dicas

Bate-volta a Alcântara

São Luís e Alcântara: comes e bebes

São João no Maranhão: O Bumba meu boi

Diário de viagem

Lençóis Maranhenses (junho de 2015)

Enfim, Santo Amaro do Maranhão!

Atins, voltando ao paraíso

Barreirinhas

São Luís e Alcântara

Lençóis Maranhenses (agosto de 2014)

Lençóis Maranhenses: diário de viagem

Atins, um pequeno paraíso

 



Categorias: Índice Planejamento

Planilhas de viagens realizadas para baixar

7 maio 2014

Vez ou outra, eu recebo um e-mail de alguém perguntando quanto custou a viagem que eu fiz para o lugar X.  É praticamente certo que eu tenha este valor anotado.  Eu sempre gostei de anotar os gastos da viagem, principalmente para eu ter uma noção de quanto eu estava gastando.  Isso era frequente. Daí eu tinha uma noção se uma viagem minha era cara ou barata. Falo em termos de Brasil.  Nos idos de 2008 a 2011, uma viagem ao Nordeste de 11 a 12 dias custava para mim por volta de R$ 2.300 (exceção: Porto Seguro. É muito mais barata).  Nestes cálculos estão as passagens aéreas e as lembrancinhas.  A viagem de 18 dias ao Ceará em 2010 custou quase R$ 3.000.  Agora, para quem só tinha viajado uma única vez pela América do Sul e para um destino de praia e caribenho ($$$), foi uma grata surpresa descobrir que a viagem de um mês para Bolívia, Peru e Chile havia custado uns R$ 4.000 e sem precisar fazer economias como ficar em albergues e comer em restaurantes mais baratos. Este valor ainda conta com a compra de equipamentos para trekking e roupas para o frio.  Aqui só veio comprovar que viajar para o Brasil é muito bom porém é mais caro que muitos lugares no Exterior.

O planejamento da viagem eu sempre procurei fazer no Excel (hoje, já uso também o eficiente Evernote).  Os gastos durante a viagem eu anotava em papéis que depois foram evoluindo para os cadernos de viagens (daí surgir a paixão por colecionar caderninhos) até chegar ao ponto de anotar os gastos durante o período da viagem e anotá-los na planilha.  Por quê? — Provavelmente, algum leitor pode estar se perguntando.  Digamos que a resposta mais simples é que eu sou uma pessoa noiada organizada.

A verdade é que a primeira vez que eu vi isso, vi no Mochileiros.com. Achei incrível isso, pois me ajudou imensamente a ter ideia de quanto eu poderia gastar em uma viagem. Adotei a ideia e virou um hábito.  Isso me ajuda a saber o quanto de dinheiro saiu do meu bolso e também ajuda aos amigos e demais interessados em saber quanto custou o passeio para o lugar X. Também ajuda a desmitificar que viajar não é tão caro quanto algumas pessoas acham que são.  Como eu já disse uma vez, é tudo questão de prioridade.

Este texto longo é apenas uma explicação que eu criei a página Download para ser o modo mais fácil e rápido para aqueles que querem saber quanto custou as viagens que eu fiz por este vasto mundo.  Lógico, que cada um tem seu orçamento, tem seu estilo de viagem e tem um bolso com um determinado tamanho. Falar sobre dinheiro é muito delicado, cada um tem um gosto. As minhas viagens às vezes são mochileiras; às vezes um pouco acima do orçamento, nunca são luxuosas mas de vez em quando eu me permito um pouco de glamour (vide hotel em Santorini). Sem contar que eu não sou de baladas e festinhas, não consumo bebidas alcóolicas e sempre dou preferência por atividades ao dia. Lembre-se disso, quando olhar meus números e os números de outras pessoas. Leve em consideração também a data da viagem (se foi recente ou não, se foi baixa/alta temporada), o número de pessoas e no caso de viagem internacional, a cotação da moeda utilizada (dólar ou euro). Ufa! Tantos detalhes… por isso, que é um assunto muito particular.

Eu disponibilizei as planilhas:

Mochilão Bolívia, Peru e Chile (2011)
Grécia e Turquia com stop-over em Paris (2012)

Em breve, eu publicarei a de Santiago do Chile (2013) e Colômbia (2014).

 



Categorias: Planejamento

Planeje sua viagem usando o Tripline

1 janeiro 2014

Eu sempre falo que para organizar um roteiro, você tem que estar com um mapa do lado.  Ainda mais quando se trata de viagens com múltiplos destinos. É necessário ter noção da distância entre os lugares, se a sua sequência dos lugares a conhecer é geograficamente lógica (Ex: Em uma viagem para Recife, Maceió, Natal e Fortaleza, o mais lógico seria fazer a sequência Maceió – Recife – Natal – Fortaleza; ou vice-versa.), etc. Com a facilidade da internet, nada mais óbvio do que usar o Google Maps.  O roteiro para o mochilão Bolívia, Peru e Chile foi feito no Google Maps.

Há algum tempo, uso uma ferramenta que eu considero ainda mais útil para organizar o meu roteiro, como detalhista que sou: o site Tripline.  Você  cria um mapa personalizado para o seu roteiro (como o Google Maps), com a diferença que pode renomear os destinos, inserir datas, fotos e comentários. Tudo isso pode ser compartilhado com seus amigos e com o público em geral, caso o seu mapa seja público.

Como usar?

É bem fácil pois o Tripline é intuitivo.  Acesse o site http://www.tripline.net/ e abra uma conta (você pode usar a sua conta do Facebook).  Com a conta criada, clique em Create a new map.

Tripline-01

 

Preencha os campos:

Map Title, escolha um nome para o seu mapa. Por exemplo, “Mochilão Bolívia, Peru e Chile”.

Type: aqui o aplicativo te dá uma série de opções para você escolher o que melhor define a sua viagem, como “viagem de sonhos”, “férias” e “uma viagem”.

Main Location: Eu normalmente coloco o lugar-destaque da viagem (cidade, estado ou país). Você pode deixar em branco.

Visibility: O mapa que criará pode ser visualizado por todos ou apenas por você ou por seus amigos.

E ainda você informa se a viagem começará da cidade onde mora e se você é um dos participantes da viagem.

Clique em Create My Map.

Tripline-02

O  site mostra um mapa já com o ponto de partida (no meu caso, o Rio de Janeiro). O lado direito, exibe informações como o título, a visibilidade e o tipo de viagem.  Você pode escrever um pequeno resumo sobre a viagem e escolher a trilha sonora.

Montando o roteiro

No canto superior esquerdo, digite o próximo destino. Aparecerá uma lista suspensa com os prováveis nomes.  Caso esta lista suspensa não apareça, clique em Search. Confirme o local e clique em Add place. 

Tripline-03

A aba Geocoder é usada quando você quer dar as coordenadas exatas do local.

Caso desejar, você pode colocar a data e o horário de chegada no local e outras informações. Se não quiser que algumas sejam vistas por todos, escreva no campo Nota Particular. Quando terminar de montar o mapa, crie em Save Map.

Veja como ficou o nosso exemplo:

O aplicativo tem integração com o Facebook, Flickr, Instagram e Foursquare eestá disponível na Apple Store. Para quem não tem o i-phone, acesse mobile.tripline.net.

 



Categorias: Planejamento

Ficha técnica: Grécia e Turquia com stop-over em Paris

22 agosto 2013

O roteiro

As cúpulas azuis das igrejas de Santorini

A viagem para Grécia e Turquia seria em 2011 mas como estava com sérias restrições de orçamento, adiei os planos para 2012. O roteiro da Grécia restringirá a Atenas e as ilhas gregas. Dentre tantas, escolhi as famosas  Santorini e Mykonos; além de Milos, cujas fotos de suas praias eu fiquei encantada. Na Turquia, os lugares históricos: Istambul, Éfeso, Pamukkale e a Capadócia (cidade escolhida: Goreme).

Todo o planejamento da viagem foi descritos nos posts:

http://www.omundoaosmeuspes.com.br/grecia-e-turquia-planejando-uma-viagem-parte-i/
http://www.omundoaosmeuspes.com.br/grecia-e-turquia-planejando-uma-viagem-parte-ii/

A viagem foi realizada no período de 24/05/12 e e 21/06/12.  Compramos as passagens em fevereiro. Na época, a opção mais barata foi a Air France.  Com isso, conseguimos um stop-over em Paris por 4 dias. Sem pagar nada a mais por isso. Seriam três anos de um mochilão que fiz sozinha pela Europa e tinha muita vontade de voltar à Paris. De forma que a nossa passagem foi: Rio de Janeiro – Atenas (ida), Istambul – Paris e Paris – Rio de Janeiro (volta).

O roteiro que fizemos em 27 dias: Rio de Janeiro > Atenas > Milos > Santorini > Mykonos > Istambul > Izmir > Kusadaki > Pamukkale > Göreme > Istambul > Paris > Rio de Janeiro.

Os deslocamentos
Além da passagem intercontinental pela Air France, compramos antecipadamente todos os trajetos de ferry entre Atenas e as ilhas gregas. Não consegui comprar o trecho Mykonos – Istambul pela Aegean Airlines porque a companhia só aceitava pagamentos com cartões de crédito Verified by VISA, o que no Brasil – se não mudou – só o Bradesco emitia este tipo de cartão.  Em Mykonos, conhecemos um casal de brasileiros que diz ter comprado com o American Express. Assim, o aéreo Mykonos – Istambul compramos no aeroporto de Atenas e pagamos bem mais caro ;-(

Os trechos internos pela Turquia compramos em Istambul, fechando um pacote com uma agência de turismo.

Como viajamos

É sempre bom falar sobre o meu modo de viajar. Isto faz a diferença sobre as impressões de um lugar.  Aquele lugar maravilhoso que seu amigo baladeiro gostou pode não ser tão maravilhoso assim para você.  Gostamos de um certo conforto mas sempre com boa relação custo/benefício. Temos preferência por viagens realizadas de forma independente sempre que possível. Eu gosto de História, prefiro passear o dia inteiro e descansar à noite. Minhas amigas gostam de sair à noite. Também somos chegadas às compras. Todas nós gostamos de praia. Não economizamos com comida e de forma geral, escolhemos uma das refeições como a principal e na outra só “beliscamos”.

Fontes de Consulta

Guias de viagem
Eu comprei o Lonely Planet Istambul em português e foi de grande ajuda principalmente nos lugares onde não alugamos o áudio-guia. Também adquiri o Guia Visual da Folha Grécia mas não levei na viagem. Sobre Atenas, eu fiz um resuminho e coloquei no aplicativo de viagem para celular TripIt.

Na internet

  • Os blogs Wazari, Turomaquia, Fui e voltei prá contar e Viaggio Mondo dentre outros.
  • Sobre Milos, os blogs Próximos Destinos e Vícios de Viagens.
  • A comunidade do Orkut “Dicas Imperdíveis de viagens”. Há um tópico movimentado sobre a Grécia.
  • No site Mochileiros.com, os relatos dos usuários Davlav e o MCM ajudaram bastante.

Nota: A Turquia virou uma febre ainda mais com a novela “Salve Jorge”. Hoje há vários relatos de viagem sobre a Turquia na rede.

Aplicativos de celular
Eu sempre uso o Skype.  É a forma mais barata que eu conheço para ligar para casa sem gastar os tubos. Aliás, nunca mas nunca use o telefone do hotel! Eu baixei o Ametro que tem vários mapas de metrô e usei o TripIt como organizador de viagens. Todas as reservas (ferries, hotéis e passagens aéreas) e o planejamento em si, eu os reuni no aplicativo.  Não funcionou tudo as mil maravilhas porque eu fiz tudo em cima da hora mas só o fato das reservas estarem em um único lugar ajudou e muito.

Eu não usaria mais o Ametro porque eu acho que usar o papel é mais prático. Quanto ao guia de viagem, eu continuo com a opinião que é melhor criar um próprio, com as informações que juntou no planejamento e ir usando.  Mas eu confesso que sou muito fã de papel.

Planilha de viagem
Atualizei a planilha com o roteiro realizado, os custos de transporte e hospedagem. Não foi uma viagem mochileira mas as informações podem ser úteis a todos. Em breve, eu colocarei disponível na seção “Planejamento/Download”. disponível na seção Planilhas de viagem.


Grécia e Turquia: o roteiro ideal

2 agosto 2012

O roteiro planejado foi ótimo mas eu faria alguns ajustes para ficar melhor.  O stop-over em Paris depois de voltar da Turquia não valeu a pena. Acho que Paris combina com uma viagem por outras capitais européias ou em viagens pela França.  Destoou muito destes países tão diferentes e de história milenar. Também chegamos a conclusão que o passeio de balão é para encerrar a viagem com chave de ouro e voltar ao Brasil encantada.  Hoje, eu teria visitado Paris no início da viagem e por apenas dois dias. Hoje, não iria para Paris. Somente Grécia e Turquia.

Apesar de ser ter passeios mais cansativos que a Grécia, vale a pena deixar a Turquia por último.  Não só pelos passeios diferentes mas sim pelo possível aumento de peso da bagagem e que o passeio de balão pelo céu da Capadócia é pra fechar a viagem com chave de ouro. Ratifico que se for conhecer estas regiões, deixe a Capadócia por último. Vai por mim!

Roteiro pela Grécia

Para quem quer conhecer apenas a Grécia, posso dizer que a quantidade de dias reservada para cada cidade foi o suficiente. Dá para conhecer muita coisa e ainda descansar. Ainda mais em plena primavera, onde as noites só começavam  a partir das 20:30. Deixo apenas uma ressalva: acrescentaria  mais um dia em Atenas para conhecer Meteora.

Em Atenas, acho que com um guia na Acrópole teríamos aproveitado bem mais o local ou sem guia, tivéssemos ido ao Novo museu da Acrópole e ao Museu Nacional, que demos o azar de estar fechado quando fomos para lá. Também acho que para quem gosta de História e de Mitologia, vale a pena ler sobre o assunto antes. É um pecado ir para Grécia e só pensar em praia e baladas. Pense nisso 😉

A minha opinião de roteiros em Atenas e nas principais ilhas é esta aqui:

Roteiro ideal - Grécia

Lógico que se você for um apaixonado pela Cultura Grega ou se você detestar praia, o seu roteiro será bem diferente.

Roteiros pela Turquia

Eu conheci o interior da Turquia com um pacote fechado em Istambul. Apesar das minhas amigas acharem que valeu a pena, eu acho o contrário.  Tudo muito corrido (como já era de se esperar) e os hotéis não foram lá essas coisas.  Se puder, faça tudo por conta própria.  Eu acho que a dificuldade maior é fechar os transfers do aeroporto de Izmir para Selçuk, a cidade mais próxima para conhecer as ruínas de Éfeso. Porém se já tiver hotel reservado, pode pegar mais informações.

Eu colocaria mais dias na Turquia, tudo para amenizar o cansaço da viagem. Em vez de ficar em Kusadaki, escolheria Selçuk como base para conhecer as ruínas de Éfeso e a Basílica de São João. De Selçuk, partiria cedo com mala e cuia para Pamukkale.  Deixaria as malas no hotel e passaria a tarde inteira em Hierápolis e nas piscinas, até o pôr-do-sol.  No outro dia, conheceria Afrodisias e aí sim à noite, partiria em ônibus para a Capadócia, onde ficaria por três noites.  Cada dia seria para um dos passeios tradicionais da região e um dia, somente para conhecer o  Museu a céu aberto de Göreme no meu tempo.

Confuso(a)? Aqui tem um esboço para ajudar:

Roteiro ideal - interior da Turqui

Já para Istambul, eu li alguns relatos que afirmam que 5 dias é um bom número para conhecer a cidade. Concordo. Dos pontos turísticos obrigatórios, não conheci o Palácio Dolmahbace nem o lado asiático de Istambul. Tudo porque perdemos muito tempo comprando no Grand Bazaar.  Uma lição que eu aprendi aqui é que primeiro se conhece o lugar. As compras se deve deixar para o final. Ainda mais comprando com os turcos que adoram o longo processo de compra e venda.

A cidade toda se conhece a pé. Só usamos o tram para ir a Taksim. Hospede-se em Sultanahmed e estará bem localizado.

Roteiro ideal - Istambul

 Planejando o roteiro para Grécia e Turquia

Nos links abaixo, eu explico como eu planejei a nossa viagem para os dois países.

Grécia e Turquia: planejando uma viagem, parte 1

Grécia e Turquia: planejando uma viagem, parte 2

Veja também a diferença entre os roteiros planejado e realizado, além da planilha de custos.


Página 1 de 3 123