Conhecendo Balneário Camboriú

27 fevereiro 2014

A cidade tem duas avenidas principais: a Avenida Atlântica, que é a que beira a orla, tal qual a de Copacabana; e a Avenida Brasil, que é onde está a maioria dos hotéis e muitos estabelecimentos comerciais. Nesta rua tem muitas lojinhas de roupas e acessórios que nós mulheres adoramos. Estas ruas são paralelas, logo após a Avenida Brasil, temos a Terceira Avenida e a Quarta Avenida.

Estas avenidas são bem grandes e para nos localizarmos, sempre ficávamos de olho nas ruas perpendiculares, que são ruas numeradas. Exemplo: estávamos hospedadas na Av. Brasil esquina com a rua 2100. Então, para se localizar, bastava olhar a placa com o nome da rua numerada.

Balneário Camboriú como se localizar

Importante dizer que poucas ruas da cidade tem sinal de trânsito (eles chamam de semáforo). Daí que ficamos espantadas com a educação dos motoristas. Estando você na faixa de pedestres, os motoristas param para você passar. Repare, que os pedestres não ficam esperando por muito tempo. A avenida Atlântica por um longo trecho não tem sinal de trânsito (não conheci a Ponta Norte por isso não posso afirmar que toda a avenida não está com sinal).

Mapa das praias de Balneário

Outro mapa de Balneário

O que ver e fazer em Balneário Camboriú

1.Pegar o bondidinho e conhecer a orla da praia Central;
2.Pegar o teleférico e conhecer o parque Unipraias;
3.Passear no barco pirata;
4.Passar o dia na praia;
5.Ter uma visão da cidade indo ao Cristo Luz;
6.Conhecer os arredores (Beto Carrero, Blumenau, Bombinhas, etc.)

Circulando por Balneário Camboriú

Os pontos turísticos são acessíveis por transporte público. Para conhecer a orla, você pode pegar o bondidinho, que é um ônibus adaptado em carroceria de caminhão(!). O ônibus circula pela Avenida Brasil e pela Avenida Atlântica. Ele não é circular. A passagem custa R$ 3,75. Quando você pega o ônibus na Avenida Brasil, o ônibus está indo para a Barra Sul. O ponto final é justamente onde você pega ou o teleférico ou o barco pirata, que falarei mais adiante. Quando você pega o ônibus na Av. Atlântica, o ônibus está indo para Pontal Norte. Na Atlântica, há marcações na ciclofaixa dos pontos de parada do bondidinho. Na prática, vimos que ele para em qualquer lugar, basta você sinalizar.

Bondidinho

Para o Cristo Luz, há pontos de ônibus com placas indicativas na av. Brasil. No ponto, há a informação que o intervalo entre os ônibus é de 40 minutos.

Táxi: Achei a corrida de táxi cara. Pegamos um táxi do hotel (Av. Brasil esquina com a rua 2100) até a Barra Sul (não dá nem 8 minutos) e a corrida custou R$ 18.

Acessibilidade

Ao menos na parte turística, as calçadas terminam com rampas (embora às vezes, um pouco íngremes) que ajudaram demais a deslocar a cadeira de rodas. Na orla, para atravessar a Atlântica, basta cruzar a faixa de pedestres que está nivelada. Enfim, a cidade é bastante acessível para cadeirantes.

As praias

A maior praia da cidade é chamada de Praia Central que segundo eu li tem 6Km de extensão. O início da praia é chamado de Pontal Norte. O final é chamado de Barra Sul. A Praia Central tem areia escura e o mar por ali não é tão calminho (é mais calmo à medida que vá chegando a Barra Sul). A orla da Praia Central é muito arrumadinha com seu calçadão de pedras portuguesas, espaço para o pessoal que gosta de jogar bocha, uma faixa exclusiva chamada de ciclofaixa para aqueles que andam de bicicleta, corredores e skatistas. Esta faixa é avermelhada tal qual é a faixa do BRT aqui no Rio. As barracas são pequenas e todas numeradas (aí, outra forma de se localizar). Vendem bebidas, churros e milho (uma constante!). Também alugam cadeira de praia e guarda-sol.

Praia Central

O número de pessoas que caminham ou praticam esportes é muito grande tanto de manhã como à noite. Tem uma parte grande de areia mais dura que dá para caminhar de tênis ou fazer uma corridinha na areia. Eu vi até gente andando de bicicleta!

Antes de molhar seus pés na praia Central, veja se está liberada para banho. No dia que chegamos, vimos uma placa vermelha dizendo que não estava liberada em um trecho. A água estava escura demais (observação nada técnica). Outra coisa, o lugar que você escolher para tomar sol pela manhã, talvez à tarde faça uma grande sombra. Tudo isso se deve a falta de planejamento da Prefeitura em liberar aqueles arranha-céus a pouca distância do mar que ao passar do dia fazem sombra na areia.

A Barra Sul é um ótimo lugar para ir tanto de dia quanto à noite. Há uma pracinha com vários brinquedos para crianças, um píer com uma vista bacana da orla. Além disso, é aqui que saem os passeios de barco e onde se localiza a estação do teleférico, a “Barra Sul”.

Molhe Barra Sul

Há outras praias em Balneário como a praia das Laranjeiras (que só olhei de relance e já achei melhor do que a Central) e há vários modos de chegar até lá sem usar o carro (barco, teleférico e ônibus).

 

Conhecendo as praias usando transporte público

Rodovia Interpraias, Av. Brasil, praias Central, Laranjeiras, Taquaras até Estaleirinho: linha 114
Praia dos Amores: linha 102
Bairro Barra Sul: linha 106 ou 100

Parque Unipraias

O parque Unipraias fica na Barra Sul. Para chegar até lá, você pode usar o bondidinho na Avenida Brasil. O ponto final é em frente ao Unipraias.  O preço é R$ 36 adultos e R$ 18 (crianças até 9 anos e maiores de 60 anos). A primeira parada é no alto do morro. Neste ponto tem as brincadeiras como o Youhoo, o circuito de Arvorismo e o Zip Rider.  Há uma altura mínima para a criança andar no Youhoo acompanhada. Antes mesmo de pagar o ingresso tem um cartaz com uma espécie de régua onde a faixa verde é a altura onde a criança está liberada para ir no Youhoo.  Mesmo que não queira participar, se você descer neste ponto tem os mirantes para apreciar a vista. Depois, podem voltar e seguir com o teleférico até a praia de Laranjeiras.  Guardem com cuidado os bilhetes pois eles serão pedidos sempre que voltar a usar o bondinho neste dia. Do teleférico dá para ver o Cristo Luz.

O teleférico às vezes dá uma paradinha estratégica de 2 ou 3 minutos (há um aviso dizendo que isso acontece quando há alguma pessoa com dificuldade de locomoção está para descer ou subir no teleférico). Então se no meio do trajeto, o teleférico parar, tranquilize a família. Cabem 6 pessoas ali. Para os amantes da fotografia, dá para tirar fotos sem a interferência do acrílico.

Acessibilidade:  aqui apesar de dizerem que é acessível, não conseguimos visualizar uma cadeira de rodas entrando no bondinho. Cada bondinho cabe 6 pessoas.  Acredito que o cadeirante fique sentado em um lado e a cadeira vá do outro, ocupando os 3 lugares.

Passeio do barco pirata

Passeio de barco com duração de 1 hora. O barco passa próximo a praia Central, dá a volta pela ilha das Cabras e dá uma parada no molhe (píer) da praia das Laranjeiras para embarque/desembarque. Você pode descer ali e pegar o próximo barco. Durante o passeio, os caras vestidos de pirata simulam uma briga disputando o amor de uma mulher que é escolhida dentre as pessoas que estão no barco.  Particularmente, não gostei da encenação nem das piadinhas mas minha sobrinha adorou. Bom mesmo é o passeio de barco em si.

Obs.: se for descer em Laranjeiras, guarde com cuidado o bilhete do barco pois será exigido ao entrar no barco novamente.

Preços: R$ 35 adultos e  R$ 17 (crianças até 12 anos e maiores de 60 anos).
Horários: 10:00/14:00/16:00

Dica: Se estiverem descididos a ficar pela praia das Laranjeiras e fazer o passeio de barco, vá no barco das 10:00 e volte no barco das 16:00 (ou 14:00).

8 Comentários

  1. Maria Alice disse:

    Olá Pat!! Adorei sua resenha para essa cidade, me ajudou muito pois quero viajar pra lá e estava cheia de dúvidas. Gostaria de te perguntar algumas coisas, qual época você viajou para lá? Queria ir em Abril, você recomendaria? Com o transfer você teve que pagar alguma coisa antes de chegar? Eles aceitam cartão de crédito? E o hotel que você ficou, aceita cartão também? Ficaria muito grata se você respondesse. Grande abraço!

    • Pat Alves disse:

      Oi! Fui em fevereiro de 2014. Não efetuei nenhum pagamento antecipado. Acho que é boa época sim. Tenho amigos que foram com suas famílias em junho, julho, maio e novembro. Só o que foi em novembro pegou chuva mas o tempo é imprevisível.
      O hotel que eu fiquei, o Hotel Melo, aceita cartão sim. Mas antes de fechar o hotel, sempre verifique antes, mandando e-mail.

  2. Silvana disse:

    Paula, parabéns pela iniciativa e pela coragem! Um dia quero fazer isso, sair por aí e visitar lugares lindos sem necessariamente precisar de companhia. Agradeço as dicas. Meu namorado e eu estamos querendo ir ao Beto Carrero e passear por lá em setembro. Boas futuras viagens! Beijo!

  3. Paula disse:

    Adorei suas dicas. Estamos querendo visitar Balneário em novembro e não sabíamos se tinha facilidade com o transporte público! Obrigada.
    Alguma dica de transporte pro Beto Carrero? rsrsrs

    bjs

  4. Katia Francisco disse:

    Estou adorando a opinião da sobrinha, que pelo jeito é cheia de opinião. Qual a idade dela? Fiquei interessa nesse seu itinerário.

Deixe seu comentário