Copacabana, a princesa do Titicaca

20 maio 2011

Saímos de La Paz para Copacabana via ônibus turístico.  Estava marcado para o ônibus passar às 7:30 no hotel.  Adivinha que horas chegaram? Uma hora depois! Deixamos de tomar café no hotel por conta dos atrapalhados.  O ônibus deveria sair as 8:00 mas saiu às 08:40 por causa da agência que foi nos buscar de táxi no hotel.  Nós já estávamos furiosas com o atraso.   O ônibus estava lotado! Tremendo overbooking.  Ana teve que ir na cadeirinha da frente, junto ao motorista.  Bom… até entao estava encarando com bom-humor quando veio um agente da rodoviária onde pegamos o ônibus nos cobrar uma taxa de embarque.   Gente, eu rodei a baiana!  Quem tinha que pagar isso era a agência! O coitado do funcionário da rodoviária andou para lá e para cá querendo os dois bolivianos mas eu bati o pé e não paguei.  Quando fui falar com a Ana, ela tinha pago sem questionar! Aí depois eu é que fiquei pensando se eu deveria me estressar por causa de dois bolivianos.  Um dolar é igual a sete bolivianos.  Então, não valia a pena o estresse.  Mas só de pensar que estariam me passando para trás, eu aloprei.

O percurso até Copacabana dura cerca de três horas.  A visão do Lago Titicaca é bonita à beça.   É muito difícil não acreditar que aquilo não é mar.  Eu fiquei muito encantada e um pouco surpresa como a Bolívia não faz daquele lugar um boom turístico.  Uma lagoa de água cristalina, com a Cordilheira Real ao fundo.  Lindo demais!  Eu fiz amizade com um peruano e um chileno que estavam sentados ao meu lado e foi bom porque eu pratiquei meu portunhol, que por sua vez deve ser fraquíssimo pois mal abrimos a boca e todo mundo já sabe que somos do Brasil!

Chegamos pouco depois de meio dia e fomos a um dos hotéis indicados: Hotel Mirador.  Por fora, uma fachada muito bonita. Por dentro, um muquifo!  Sem calefação, toalhas meio encardidas, chão de madeira que só de andar rangia e o pior: o banheiro não tinha box nem cortina.  Era tomar banho e molhar tudo.  Isto porque é um dos melhores hotéis de Copa.

Passamos a tarde andando pela cidadela.  O artesanato e as roupas de alpaca tem melhor acabamento do que as de La Paz mas aqui tudo é mais caro.  Infelizmente, até a cotação era pior.

Em Copacabana o que chama atençãoo é o passeio para a maior ilha do lago Titicaca, a ilha do Sol.  Lá  as pessoas fazem um trekking cruzando a parte norte e sul da ilha. Dura mais ou menos 4 horas. Eu já esqueci o que significa Titicaca mas sei que segundo a lenda, a civilização inca começou aqui quando o Mano Kapac e a mulher (esqueci o nome)  surgiram e iniciaram o império inca.  Reza a Lenda que a civilização de Atlântida está submersa no lago.

Nós não subimos o Cerro Calvário para assistir o pôr-do-sol até porque disseram que é um calvário subir o morro 🙂  Depoisdo Chacaltaya, nem nos atrevemos.  Ainda mais que no dia seguinte, haveria o trekking.

Fomos à igreja de Nossa Senhora de Copacabana e depois compramos o bilhete de barco para ir a Isla del Sol.

 

Deixe seu comentário