Cruzando o lago Titicaca

22 maio 2011

Desde o dia 8 de maio, os peruanos fecharam a fronteira com a Bolívia por conta de um protesto contra a construção de uma mina que eles acham que vão contaminar o solo. Então, estávamos apreensivas pois como iríamos chegar a Puno, a cidade peruana a margem do lago Titicaca?

Havia esperanças que o bloqueio terminasse mas isso não aconteceu.  Então, a opção era pegar um barco que cruzaria o lado peruano.  Tempo de viagem: 9 horas.  Preço: 200 BOB (bob – bolivianos). Sendo que um dia antes estava 160BOB.  Se não tivesse o bloqueio, seria 4 horas de viagem de onibus a um preço de 30BOB.  Fazer o quê? Compramos biscoitinhos e decidimos encarar a viagem de barco.

No dia seguinte, às 07:30 estavamos em frente a agência.  Pura aventura: a agente disse que a coisa piorou e a imigração peruana estava fechada.  Nosso passaporte seria carimbado na Imigração da Bolívia e até chegar a Puno estaríamos ilegais.  Parecia que estávamos cruzando a fronteira México -EUA.  Uma fila de passageiros esperando barcos para chegar a Puno.

Tivemos toda a assistência da agência na entrada do barco.  A viagem foi superarrastada.  O barco deve navegar a 20Km/h.  Volta e meia vinha um turista perguntar se estava chegando em Puno e o piloto falava para ter calma.  Fizemos amizade com um casal de israelenses que conhecia Itacaré e Salvador. Falavam francês  e espanhol além do inglês e hebraico, lógico.  Estou impressionada como os israelenses gostam da Bahia.

Finalmente depois de 9 horas entramos no Peru (sem trocadilhos infames!).  Vimos Puno e achamos a cidade horrível.  Um ônibus nos esperava para levarmos a Imigração. Carimbamos nosso passaporte e decidimos que iríamos direto a Cusco, o nosso Eldorado.

O pilantra do peruano não nos levou ao terminal de ônibus para comprar as passagens.  Os gringos resolveram comprar com ele e foi assim que fizemos.  Preco: 40 PEN – quando nas minhas anotações estava 30 PEN.  Ele marcou de todos voltarem às 21:00 para pegar o ônibus.  Quando chegou às 21:00, cadê o ônibus?  Estava no terminal rodoviário.  Tivemos que pagar o táxi por conta próopria.

Ah, os peruanos….

A viagem até Cusco durou nove horas.  Chegamos hoje às cinco da manha.  Estávamos junto com alguns gringos feito errantes na Plaza de Armas.  Ficamos no primeiro muquifo que nos foi ofertado.  Hoje acordamos e achamos um hotel maravilhoso: novo, com internet, café da manhã, perto da Plaza de Armas e com calefação! Nome do hotel: Waytaq.

Cusco é muito charmosinha.  Amanhã, vamos conhecer as ruínas próximas.  A cidade é cara à beça.  Só com passeios, passagens de trens e hospedagem em Machu Pichu já gastamos quase 200 dólares.

Deixe seu comentário