Cuba, na prática

1 abril 2016

Planejando uma viagem a Cuba

Há alguns meses, a Copa Airlines estava com uma promoção de passagens a Cuba. Como eu não tinha ainda um destino escolhido de férias, eu não pensei duas vezes e comprei por R$ 1.800 saindo do Rio. Resolvi ficar por duas semanas viajando pela ilha.

Cuba nunca esteve nas minhas prioridades mas com o estreitamento das relações com os EUA, eu senti uma urgência em conhecer um pouco do país antes que abrisse um Mac Donald’s ou um Starbucks em Havana (depois de ter lido o livro “A ilha”, achei tolice minha ter pensado deste modo).

Acho que o que eu sei de Cuba é o que a maioria das pessoas sabem um pouco: Revolução, Fidel Castro, Che Guevara, bloqueio econômico, carros antigos, La Bodeguita, etc. Eu precisava saber mais sobre a história do país. Um amigo emprestou-me dois livros:

(1) Moraes, Fernando; A Ilha, Companhia das Letras.
(2) Furiati, Claudia; Fidel Castro, uma biografia consentida. Editora Revan.

O usuário Pedrada do Fórum Mochileiros.com sugeriu-me algumas leituras. De tudo o que me foi recomendado, confesso apenas ter lido (e adorado) o livro “A Ilha”. Agradeço a todos a ajuda.

Eu posso dizer que já tenho uma certa experiência em planejamento de viagens por conta própria. Algumas vezes, eu já arrisquei ir a um país só sabendo do basicão. Por conta de emendar uma viagem após outra, acabei deixando para planejar minha viagem para Cuba em cima da hora, algo como “viajar-e-ver-no-que-dá”. Agora que eu já voltei de viagem, se tivesse que dar uma única dica seria: planeje bem sua viagem a Cuba, informe-se bastante. Por quê? Não é fácil obter informações sobre o país pela internet estando lá, já que a internet em Cuba é lenta e cara. Além disso, não viajei nem com um bom guia de viagem. Apenas li relatos de viagem, procurei alguns blogs e sites interessantes sobre viagem a Cuba e salvei-os no celular (Aplicativo Evernote).

Não dá para visitar Cuba como se fosse um simples destino turístico. Mesmo que queira se afastar do assunto política, está lá nas ruas, no dia-a-dia dos cubanos e no modo como viajamos no país. É uma verdadeira incursão social, para quem quiser.

Deixa eu explicar como foi a minha viagem: eu viajei sozinha e tive poucos dias no país (10 dias. Deveriam ser quinze mas tive que antecipar a minha volta). Não viajei no estilo mochileiro mas foi o mais econômico possível. Durante o período em que estive em Havana, houve dois eventos importantes: a visita do presidente dos EUA, Barack Obama e o show dos Rolling Stones.

Mesmo com tudo isso, acho que o fato mais curioso que aconteceu durante a viagem e eu até esperava mas aconteceu de forma muito mais frequente foi que por eu ser negra, todos – turistas e cubanos – ao me ver achavam que eu era uma cubana legítima e isso me rendeu vários causos.

Achei o país muito seguro. Sem pestanejar, um dos mais seguros que eu já estive, por isso acho um bom destino para mulheres que viajam sozinhas. Lógico, tomando os cuidados básicos e preparando-se para os galanteios dos cubanos, que são um paqueradores e… machistas.

Então, escreverei o relato e sobre o que eu aprendi do modus operandi de viajar em Cuba: Cuba, na prática.

Documentos obrigatórios

Passaporte, visto e seguro-saúde.

O visto é conhecido como tarjeta de turismo e em março de 2016 custa 20 dólares. Quem mora em Brasília, pode solicitar o visto à Embaixada. O visto também pode ser solicitado nos Consulados em São Paulo e Salvador. O valor da taxa é de R$ 65. Para aqueles que não moram nas proximidades destas cidades, o mais prático é comprar a tarjeta de turismo no balcão da companhia aérea. Eu viajei de Copa Airlines e comprei o visto na Cidade do Panamá, no balcão ao lado do portão de embarque do voo para Havana. Processo rápido e tranquilo. A tarjeta de turismo pode estar disponível no balcão da Copa nos aeroportos brasileiros. O custo é de 80 reais. Só não comprei no aeroporto do Galeão porque já havia acabado. Então, se você for viajar com a Copa e não conseguir comprar o visto no Brasil, não se preocupe pois no aeroporto do Panamá você conseguirá fazê-lo. Reserve dólares trocados, evitando o transtorno da perda de tempo caso eles não tenham o troco na hora.

Para saber mais informações de como tirar o visto na embaixada ou consulados aqui no Brasil, visite a página da Embaixada cubana. Clique em Missión e escolha qual a representação diplomática (Embaixada, Consulado em São Paulo, Consulado em Salvador, etc.)

Embaixada brasileira em Havana
Como estamos falando de embaixada, anote aí o endereço da embaixada brasileira em Havana:
Centro de Negócios Miramar
Avenida 3ª entre 76 e 78. Edifício Beijing, Sala 206. Bairro Miramar. Havana, Cuba
Tel: (537) 214-4713 ao 4716. Fax: (537) 214-4719

Moeda

Em Cuba, há duas moedas: o peso (CUP), conhecido também como moneda nacional e o peso convertible (CUC), usado pelos turistas. 1 CUC equivale a 1 dólar, aproximadamente.

Peso Convertible (CUC)
Pesos convertibles

Qual moeda levar?

Por enquanto, o euro. Na prática, o dólar é sobretaxado em 10% e por isso, vale menos de 1 CUC. Pesquise o câmbio de hoje no site do Banco Central de Cuba.

Cambio CUC

A tabela de câmbio é sempre em relação ao CUC.

Entendendo a tabela:

1 – Para comprar pesos convertibles (CUC)

  • Para aqueles que tem euros ou libras, moedas com cotação maior que o CUC:

1 EUR = 1,10178 CUC

1 GPB = 1,39155 CUC

  • Para quem tem outras moedas, com cotação menor que o CUC, como por exemplo o dólar canadense ou o dólar americano:

1,33265 CAD = 1 CUC. Assim, 1 CAD = 1/1,33265 = 0,75038 CUC

1,03360 USD = 1 CUC. Assim, 1 USD = 1/1,03360 = 0,96749 CUC

2 – Para  vender pesos convertibles (CUC):

  • Para aqueles que tem euros ou libras, moedas com cotação maior que o CUC:

1 EUR = 1,17592 CUC

1 GPB = 1,48526 CUC

  • Para as outras moedas, com cotação menor que o CUC, como por exemplo o dólar canadense ou o dólar americano:

1,24846 CAD = 1 CUC. Assim, 1 CAD = 1/1,24846 = 0,80098 CUC

0,96852 USD = 1 CUC.  Assim, 1 USD = 1/0,96852 = 1,03250 CUC

Os termos compra e venda na tabela são sempre em relação a casa de câmbio (CADECA). Exemplos: (a) Operação de compra: A CADECA compra 1 euro a 1,10178 CUC e 1 dólar canadense a 0,75038 CUC. (b) Operação de venda:  a CADECA vende 1 euro a 1,17592 CUC  ou 1 CAD a  0,80098 CUC.

Observação: Eu fiz uma confusão danada com esta tabela de câmbio. Coisa complicada! Para tirar qualquer dúvida, tenha em mente isso: “a relação casa de câmbio-cliente sempre será desvantajosa para o cliente. Então, se você olhar para tabela e achar que está lucrando, com certeza você está entendendo errado a tabela!” (frase sábia de um amigo) ::putz::

Tabela de Câmbio - CADECA

Comprando pesos convertibles (CUC): onde trocar meu dinheiro em Cuba?

Na área externa ao aeroporto de Havana, há uma CADECA (casa de câmbio). Troque uma quantia pra lá. Algumas pessoas recomendam só trocar o suficiente pois com o cansaço da viagem não se confere corretamente a quantia recebida em CUC (há relatos em que pessoas reclamam de terem recebido propositalmente dinheiro a menos). Eu troquei 200 euros (o suficiente para pagar a diária em Havana e o táxi do aeroporto) e o restante troquei em Havana Vieja, nas CADECAS na calle Obispo e na Plaza San Francisco. Não foi necessário trocar dinheiro nas cidades do interior do país.

Eu posso comprar pesos – CUP (moneda nacional)?

Sim, pode. Eu troquei 5 CUC por pesos em uma CADECA em Habana Vieja tranquilamente. Usei os pesos para comprar comida e comprar a tarjeta propria (cartão telefônico para chamadas em Cuba). Há lugares que aceitam CUP e CUC. Falo mais sobre isso depois.

Atenção: para trocar dinheiro é necessário ter o passaporte em mãos!

No aeroporto de Havana

Observe que as filas para verificação de passaporte à direita são exclusivas para passageiros de cruzeiros. Você será fotografado e seu passaporte será carimbado (antes só carimbavam a tarjeta de turismo). Sua tarjeta de turismo também será carimbada e nem é preciso dizer que para sair do país você tem que devolvê-la, né? Então, tenha cuidado.

Após a verificação do passaporte, sua bagagem de mão passa por um raio X e o formulário que você recebeu no avião, deve ser entregue ao próximo funcionário que te perguntará se está hospedado em casa particular ou em hotel. Depois, a espera de sua bagagem na esteira. Algumas pessoas esperam por 3 horas. Eu tive sorte e todo o processo – desde a Imigração até pegar a bagagem – durou menos de 1 hora.

Do aeroporto a Centro Habana ou Habana Vieja

O táxi oficial (táxis amarelos, carros bem mais novos) estava cobrando 30 CUC na semana em que o presidente Obama e os Rolling Stones estavam em Havana. O preço normal é 25 CUC.  Já na volta para o aeroporto, ainda se consegue pagar 20 CUC mas o preço padrão é 25 CUC.

Táxi oficial

Os táxis oficiais: os amarelinhos

Segurança

A sensação de segurança em Cuba é impressionante. É um país muito seguro. Turistas andando com suas câmeras fotográficas caríssimas pelas ruas sem preocupação.  Andar em ruas mal iluminadas e se sentir seguro.  Consegue imaginar isso em uma grande cidade brasileira? Os cubanos são privilegiados  abençoados.

Os cubanos

São simpáticos, amáveis e gostam de uma boa conversa.  Quando descobriram que eu era brasileira, queriam saber mais coisas do país.  A impressão que eu tive é que são muito cultos. Aquele nível de cultura invejável. Sabe aquela coisa que quando você fala do Brasil para um estrangeiro, ele começa a falar nome de jogador de futebol? Pois é! Isto não aconteceu durante a minha viagem a Cuba. Quando eu falava que era brasileira, eles lembravam da zika, do Lula, de Chico Buarque, de Elis Regina, das novelas brasileiras e do samba.

Se estiver viajando sozinha, prepare-se para as cantadas. Buzinas de carros e o som dar um beijo estalado. Esta é a cantada mais comum.

Se estiver estampado em seu rosto que você é turista, prepare-se para abordagem às vezes agressiva: são pedidos para andar de bici-táxi, compra de charutos mais baratos, pedidos para você pagar um mojito, oferta de serviços sexuais ou o golpe de que a filhinha está precisando de leite e você com pena entra na loja pra comprar o leite mais caro que já comprou na sua vida. Sem falar em outros golpes. Cuidados. Estes cubanos que praticam estas malandragens são conhecidos como jineteros.

Sobre o golpe do leite ou qualquer outra desculpa de criança passar necessidade: não acredite nisso. Ninguém em Cuba passa fome. Não existem mendigos em Cuba. Na casa particular em Havana, uma cubana me disse que se a polícia pegar em flagrante estas pessoas que pedem leite para estrangeiros, elas perdem o direito a libreta, dentre outras coisas.

As novelas brasileiras

Você já sabe, os cubanos assistem as novelas brasileiras. A novela que está passando no momento é Império, cujo personagem principal é o Comendador (ator: Alexandre Nero).  Algumas senhoras podem falar sobre a novela Esclava Blanca mas esta aí não é brasileira, tá? (Sim, eu assisti a novela junta com a dona da casa particular em Trinidad :) )

Usando a internet em Cuba

A internet em Cuba não é “aberta” de imediato. Para acessá-la, é necessário um número de usuário e senha já cadastrados.  Na prática, basta comprar um cartão de acesso temporário da ETECSA, a estatal cubana de telecomunicações. Ao custo de 2 CUC  ou 10 CUC,  você pode usar a internet por, respectivamente, 1 hora ou 5 horas. O cartão é válido por 30 dias contados a partir do primeira conexão. Para saber qual é o seu número de usuário e a senha, basta raspar no local indicado no verso do cartão.

ETECSA
Tarjeta de internet da ETECSA

Onde acessar?

Nos hotéis, usando os computadores disponíveis (exatamente como em um cyber café) ou usando o wi-fi em seu celular mas tenham em mente que o wi-fi só funcionará nas zonas liberadas pelo Governo. Exemplo: nas proximidades de hotéis (exemplo: Hotel Inglaterra, em Centro Habana; Hotel Flórida e Hotel Ambos Mundos; em Habana Vieja) e outros lugares bem conhecidos como La Rampa, em Vedado. Lembrando que estrangeiros podem entrar nos hotéis e ficar no saguão utilizam o wi-fi em seus celulares/laptops mas nem todos os hotéis permitem que não-hóspedes usem os computadores.

A velocidade não é das mais rápidas e como vocês já perceberam é a peso de ouro. O meu conselho é: desapegue!

Onde comprar o cartão da ETECSA

A dona da casa particular em Havana havia me dito que eu conseguiria comprar no hotel Inglaterra. Na prática, como eu estive em Havana em um período onde muita coisa estava fechada ou não era permitida por questões de segurança, o único lugar onde tenho certeza que se pode comprar o cartão é na ETECSA da calle Obispo.

Atenção: para comprar a tarjeta de internet é necessário ter o passaporte em mãos!

As filas em Havana: uma peculiaridade

Se tiver que ir à ETECSA da calle Obispo  para comprar a tarjeta de internet, você provavelmente verá uma duas pequenas muvucas em cada porta. Uma porta é para aqueles que querem acessar a internet e a outra é para todas as demais coisas, inclusive comprar a tarjeta. A aparentemente muvuca na verdade é uma “fila”. Certifique-se que está na correta e pergunte quem é o último (¿Lo último?). Só isso basta. A pessoa que chegará depois, fará o mesmo e você se manifestará,  dizendo que é o último. Assim por diante. Eu fiquei maravilhada com isto. Que coisa tão altamente civilizada! Funciona muito bem! Não precisa ninguém ficar um atrás do outro. Basta saber quem está na sua frente e pronto. Depois, aprendi que é conveniente também saber quem é o penúltimo, para aqueles casos da pessoa que está na sua frente desistir e você ficar perdido.

Chamadas telefônicas em Cuba

Para fazer ligações telefônicas somente em Cuba (exemplo: telefonar para casas particulares em outras cidades), compre na ETECSA um cartão telefônico chamado de tarjeta propria (custo: 7,5 CUP ou 10 CUP).  Para usar, o esquema é um pouco parecido com a tarjeta de internet: (a) procure um telefone público; (b) Raspe o local indicado para saber seu número de usuário; (c) Ligue 166 para ouvir as instruções. Depois, digite o número de telefone desejado (Atenção: não use o código 53. Digite 0 + número de telefone desejado).

 Atenção: para comprar a tarjeta própria é necessário ter o passaporte em mãos!

Hospedagem em Cuba

Há duas opções: hotéis e casas particulares.

Como reservar hotéis em Cuba

Você pode pesquisar no Trip Advisor a opinião de pessoas que já se hospedaram nos lugares mas lembre-se que estamos em um país que sofre com as consequências de um embargo econônico. A sua pesquisa de diária dos hotéis não funcionará no Trip Advisor. Os hotéis em Cuba não estarão no Booking.  Você pode efetuar a reserva no site do próprio hotel.

Casas particulares: uma hospedagem tipicamente cubana

As casas particulares são as casas dos moradores que foram autorizados pelo Governo a disponibilizar seus quartos para os turistas.  É o modo mais popular de hospedagem em Cuba e uma oportunidade do visitante estão mais em contato com o estilo de vida dos cubanos. Obviamente, são mais baratos que hotéis mas não se engane: é tudo bem organizado.  Em média, um quarto para duas pessoas em uma casa particular custa em média 25 CUC  mas a diária depende da cidade e se está em período de baixa ou alta temporada (referência: março/2016).

Arrendador de divisa
Toda casa particular licenciada pelo Governo tem esta plaquinha na fachada

Como pesquisar qual a melhor casa particular para mim?

Você pode ler as resenhas no Trip Advisor e agendar a casa em sites agregadores como por exemplo, o Cuba Junky e My Casa Particular ou entrar em contato por e-mail diretamente com os donos.  Se você pretende se hospedar em mais cidades, não é necessário reservar todas as casas. Basta reservar a primeira e o dono desta casa te ajudará a reservar a próxima e assim por diante. Sempre um proprietário conhece alguém que aluga quartos em outra cidade. Isso é prático! Aconteceu comigo.  Entretanto, tenho que dizer que você corre o risco de ficar longe de onde você quer. Então, se pretendo ficar melhor localizado, reserve com antecedência.

O que eu acho importante confirmar antes:

  • Se tem ar condicionado – isso é muito importante. O calor é forte;
  • Se o banheiro é privado ou compartilhado;
  • Se será necessário subir escadas – importante para quem tem dificuldades de locomoção.
  • Se a água do chuveiro é quente (com o calor, isto fica desnecessário mas se pra você é importante, pergunte. Eu peguei um friozinho em Havana inesperado e agradeci ter a água quente no chuveiro).

O café da manhã em geral não está incluso na diária (eu conheci um casal de Gran Cayman que estava pagando 30 CUC em uma casa particular em Vedado e eles disseram que estava incluso o café e pagariam isto tomando ou não o café). Em média, o café da manhã custa 5 CUC. Algumas casas cobram 3 CUC.

A dona da casa particular de Cienfuegos reservou para mim a casa em Trinidad, por indicação da senhora de Havana. Como não tinha vaga, fiquei na vizinha. Só que a vizinha estava me cobrando 30 CUC por um quarto com banheiro privado e com ventilador. Sendo que Trinidad estava um caldeirão de tanto calor que fazia na cidade! A desculpa é que em Trinidad as diárias são mais altas. Não é verdade, havia casas cobrando o valor padrão de 25 CUC, com ar condicionado e banheiro privado. Portanto, cheque estas informações antes.

Sempre é bom levar seus produtos de higiene (sabonete, xampu e condicionador) pois não é garantido que tenha nas casas, já que estes produtos não são abundantes no país.  Em alguns relatos também falavam para levar na mala papel higiênico. Porém em todas as casas em que eu estive, havia papel higiênico mas não custa nada seguir a recomendação.

O que tem no café da manhã de uma casa particular?

Muita coisa! Em todas as casas que eu estive, o café-da-manhã sempre foi muito bem servido. Eu tinha disponível frutas (goiaba, banana, mamão, abacaxi – não todas estas mas ao menos 3 destas), pão, manteiga, café (adorei o café cubano!), uma jarra de suco, leite e omelete. Quando o proprietário perguntar como você quer os ovos, ele perguntará ¿tortilla ou huevos revueltos? Tortilla é o ovo batido em forma do que conhecemos como omelete – mas isso não significa que terá recheio. Huevos revueltos significa ovos mexidos. Em algumas casas me ofereceram chá e tomates.

Meu café da manhã em Cienfuegos

Jantar nas casas particulares

Em algumas casas também servem jantar. A média do custo do jantar é 8 CUC. Se quiser jantar na casa, pergunte se é necessário reservar um dia antes. Eu, por exemplo, jantei na casa na minha primeira noite em Havana e nas duas noites em que eu estive em Cienfuegos.

Entendendo os endereços em Cuba

Não basta apenas o nome e o número da rua, é preciso dizer também a esquina ou as ruas que compõem quarteirão/quadra. Exemplos:
Hotel Inglaterra – Avenida Paseo del Prado, 416 entre San Rafael y San Miguel
Casa Particular Agustina Pérez – Calle Industria, 305 apt 402 entre Neptuno y San Miguel

Endereços em Havana

Na prática:
Ave Paseo del del Prado #416 e/ San Rafael y San Miguel
C/ Industria #305 apt 402 e/ Neptuno y San Miguel

 


Categorias: América Central Cuba

4 Comentários

  1. JULIANA disse:

    Olá! Adorei o seu relato…estou indo para Cuba agora no fim de maio e gostaria de saber pra quais lugares você foi, e como. GOstaria de ir pra Vinãles, Trinidad e Cayo Largo, além de HAvana que é por onde chegamos. Vc acha tranquilo ir fechando tudo por la? sabe me dizer valores que foram pagos por passeios/excursões para outras cidades?
    Agradeço desde já! Abraços

  2. Mariana disse:

    Eu e meu marido iremos para Cuba em Julho/2016, é um pais tão espetacular que estamos quebrando a cabeça para conseguir definir um roteiro. Com muita dor no coração retiramos cayo largo do roteiro, mas queria mtooooo conhecer cayo guillermo e sua famosa playa pilar. Pensei em ir de santiago de cuba para ciego de Ávila de ônibus noturno, e desde lá ou de moron seguir para um Day trip para cayo guillermo. Você conseguiu fazer isso? Como foi? Quanto custou? Um dia só vale a pena? Obrigada e aguardo ansiosamente mais relatos sobre a viagem!

    • Pat Alves disse:

      Oi, Mariana!

      Acredita que eu não fui a Cayo Guillermo? Eu tive que encurtar minha viagem. Do pouco que eu me informei lá, é melhor fazer o daytrip a partir de Morón.

Deixe seu comentário