Expectativas de uma viagem para Cuba

20 março 2016

Lembram que eu disse que no início do ano não havia nenhuma viagem planejada? Pois é, bastaram passar alguns dias de janeiro e surgir uma promoção da Copa Airlines para Cuba, que eu não pensei duas vezes: comprei as passagens \0/

Em junho de 2015, eu havia comprado as passagens para Havana a um preço imperdível: pouco mais de mil reais para o mês de novembro. Por razões que a natureza desconhece, o sistema da Copa Airlines não aceitou o pagamento por cartão de crédito e eu acabei escolhendo pagar por boleto bancário. Viajei para o Jalapão no dia seguinte e fiquei sem comunicação (ainda mais quando se é assinante da Oi). Dias depois, um amigo me perguntou sobre quanto eu paguei de passagem para lá e descobri que a mesma não havia sido faturada. Imagine a minha frustação 🙁

O país não era prioridade na minha lista de lugares para conhecer mas com a aproximação com os EUA, tudo mudou. Passei a querer ir para lá urgentemente antes que abrisse uma filial do Mac Donald’s e um Starbucks em frente ao Capitólio.

Este cantinho aqui é um blog de viagens. Nos dias de hoje, muita gente “que estudou pelos posts do Facebook e de outras redes sociais” gosta de repetir a frase clichê  “Vá para Cuba!” como forma de falar sobre exclusão. O país é sinônimo de atraso para alguns.  Não me considero uma pessoa politizada mas confesso ser uma simpatizante pero no mucho da Revolução Cubana e do regime socialista. As minhas ressalvas são muitas como por exemplo, o país ainda ter um único partido, ou seja, não existe democracia.  Eu já estou mergulhada no capitalismo e não consigo me imaginar compartilhando as coisas que eu tenho/conquistei com o Estado em prol de todos (sentimento egoísta mas totalmente humano).  De tudo que li sobre o tema até hoje, vejo que a revolução teve os seus méritos. A população ganha pouco? Sim, ganha. Porém, li que todos tem acesso à educação e à saúde gratuitos. A taxa de mortalidade infantil é baixíssima. Igualmente a taxa de analfabetismo. Um modelo de saúde reconhecido mundialmente por sua qualidade e motivo de orgulho nacional. Não há mendigos nem ninguém passando fome. As pessoas tem suas moradias.  Eu ainda não ouvi falar de nenhum país capitalista desenvolvido que pode orgulhar-se de tudo isso.  Portanto, reflita bem quem é o  país “atrasado e exclusivista”. Provavelmente, alguém ao ler isso falará: “Tem um monte de coisas caindo aos pedaços!”. Sim, mas aí tem o dedo do embargo econômico americano. Com o término da União Soviética na década de 90, o  país passou por maus bocados e foi forçado a abrir as portas para a entrada de capital estrangeiro.

E é este país único, com um misto de socialismo e capitalismo, que foi escolhido como meu primeiro destino de férias.

Informações práticas

Documentação exigida: passaporte, visto e seguro saúde. Você pode tirar o visto com antecedência em Brasília ou no Consulado em São Paulo. Para as pessoas que não moram nestas cidades, há a opção mais prática é solicitar o visto (que o Governo cubano chama de tarjeta de turismo) no balcão da companhia aérea.  O custo é de 20 dólares (referência: março/2016). Por exemplo, se sua companhia aérea for a Copa Airlines  você pode pagar o visto em São Paulo, no Rio de Janeiro ou ainda na Cidade do Panamá.

Moeda: Em Cuba há duas moedas: o peso cubano (CUP) conhecido como moneda nacional e usado pela população e o peso convertible (CUC), usado pelos turistas. Atualmente, um peso convertible custa 24 pesos cubanos ou 1 dólar.

Qual moeda levar? Euros. Dólar não vale a pena porque ainda há uma sobretaxação de 10%, que está com os dias contados. A cotação das moedas em Cuba, você pode acompanhar pelo site do Banco Central cubano.

Quanto dinheiro levar? Qual é o meu orçamento?  Estou levando 1.000 euros e acho que será o suficiente para meu estilo de viagem. Na carteira, estarão os cartões de créditos mas não conto com os mesmos funcionando. Apesar de ter lido que alguns hotéis aceitam, o embargo econômico ainda existe e é bom contar com o dinheiro vivo. Como incluí Cayo Largo no roteiro em cima da hora, talvez compre mais 300 euros, pois é o valor aproximado dos pacotes oferecidos pelas agências de turismo do governo Cubatur e Cubanacan para conhecer a ilhota.

Hospedagem: A minha viagem é  econômica. Não ficarei em hotéis mas sim em casa de moradores, conhecidas popularmente como casas particulares. São casas de cubanos que obtiveram autorização do Governo para oferecerem seus quartos como hospedagem ao turista. Atualmente, paga-se em média de 25 CUC em um quarto para duas pessoas em Havana. Hotéis são mais caros, por motivos óbvios. Convém lembrar que um hotel 4 estrelas em Cuba provavelmente terá qualidade inferior a um hotel de mesma classificação em outros países.

Em Havana, ficarei por indicação de um amigo do trabalho, na casa de Agustina Perez, em Centro Habana (reservado via e-mail). Nas outras cidades, estou levando uma lista com alguns nomes bem cotados no Trip Advisor. Há resenhas sobre as casas mas não há fazer cotação de diárias nem reservá-las via Booking. Em geral, li que não é necessário reservar tudo. Basta reservar a primeira e o dono de cada casa te ajuda a reservar a próxima.

Mapas: Infotur

Internet e telefones: Cartões telefônicos da ETCESA podem ser comprados nos hotéis, assim como os que dão acesso a internet. Já li que a velocidade é pior do que a discada. Bom, eu aproveitarei o momento e farei uma detox.

Sites interessantes: Em português, gostei do site  Guia Caseiro de Cuba e do blog Outras Terras. Em inglês: Cuba Junky

Circulando entre as cidades: Turistas usam os ônibus da Via Azul para circular entre as cidades mas eu estou disposta a também usar outros como o táxi compartilhado, o almendrón, a guagua e tudo o mais.

Fuso horário: GMT-5, ou seja, duas horas a menos que Brasília ou uma hora a menos, se estiver em horário de verão. Em 2016, o horário de verão começou dia 13 de março. Quer saber qual é a hora agora em Havana? Clique aqui.

Em tempo: estarei em Havana justamente nos dias da visita do presidente americano Barack Obama e do show do Rolling Stones. Espero que seja um sinal de sorte  e que seja uma viagem incrível 🙂

 


Categorias: América Central Cuba

Deixe seu comentário