5° Dia – Castelos de Hohenschwangau e Neuschwanstein

15 maio 2009

Somos um grupo de dez pessoas. Graças a uma idéia genial de um rapaz, correu uma lista sobre as pessoas interessadas em ir ao castelo na sexta-feira e assim economizar em bilhete de trem. Afinal, o ingresso para 5 adultos custa 28 euros, ou seja, € 5,76 para cada um. Uma brasileira (eu), três americanas do Texas, uma canadense de Calgary, três australianos e duas tailandesas. Pegamos o trem de 9h51 para a cidade de Füssen.

Descobri que a entrada para os trens regionais (que vão para outras cidades da Alemanha e outros países) é diferente da que eu usava para pegar o metrô. Vi uma infinidade de lanchonetes que eu já tinha visto na Marienplatz. Aí que eu me dei conta que a imensa estação central, a Hauptbanhof, ela não é grande. Ela é simplesmente enorme.

Falamos sobre costumes de cada país. Sobre os destinos de cada um. A canadense ia fazer alpinismo na Floresta Negra e depois ia para Salzburg. As americanas vão amanhã para Salzburg. A canadense havia chegado de Praga e disse que Praga é uma cidade linda.

O hostel fornece um folheto sobre como chegar a Fussen. O que estava diferente da realidade. O trem sai de Munique e 20 minutos depois, na estação Buchloe, temos que mudar de trem. Este trem nos leva até a estação Kaufenbeurer, onde descemos para pegar um ônibus para Füssen. Uma hora depois, aproximadamente, o ônibus chega ao seu destino e aí pegamos outro ônibus para Schwangau, a cidade dos castelos.

O percurso de ônibus a Fussen é muito agradável aos olhos. Há casas lindas, todas enfeitadas de flores. Passamos por estradas perfeitas, motoristas que respeitam o trânsito e florestas diferentes. Quando o ônibus passou pelo centro de Fussen até me arrependi de não ter previsto ficar por lá um dia. Em menos de 10 minutos, chegamos a Schwangau e lá temos uma visão do castelo e também um quadro que retrata o caminho que temos que fazer para chegar até aos castelos. Sim, são dois castelos: o Hohenschwangau e o Neuschwanstein. Podes escolher um ou outro ou os dois para visitar. Nós escolhemos os dois (15 euros). Cada um separadamente custa 9 euros o tour.

Não se pode entrar no castelo sem o tour. Se você comprou o ingresso para os dois, como foi o nosso caso, saiba que você terá duas horas para chegar ao segundo castelo. Como havia muito tempo até começar o nosso tour, nós fomos tirar fotos do lugar e do exterior do Hohenschwangau. O lugar é incrivel. Como é bonita a mistura de montanhas, lago e castelos.

Hohenschwangau Schloss (Castelo de Hohenschwangau)

O tour começou às 13h20. Eu inacreditavelmente consegui entender praticamente tudo que a guia falou! Ela falava pausadamente e de uma clareza difícil de achar. A única coisa que eu não entendi foi justamente o porquê do nome Hohenschwangau!!!

O Hohenschwangau por dentro é muito suntuoso. Uma riqueza de detalhes incrível. Boa parte das peças está no Residenz, em Munique. O primeiro andar é os aposentos da rainha. O segundo andar era exclusivamente do rei. As crianças e seus professores dormiam no prédio anexo onde também ficava a cozinha. O rei e a rainha, cada um tinha a sua cama. Camas pequenas, todos estranharam. Em alguns cômodos havia um forno que a guia explicou que era na verdade uma passagem secreta por onde o rei passava para ver a sua rainha. Legal, não?

No quarto do rei Ludwig I há um telecóspio onde ele sempre avistava para o lugar que seria construído o Neuschwanstein. Ele olhou para lá durante 17 anos! O teto do quarto dele é pintado de azul, com desenhos da lua e das estrelas. Segundo a guia, o rei adorava a noite, a arte e os cisnes. Aliás, o cisne era o seu animal favorito.

Cada cômodo da casa tem pinturas que contam uma história. Há inclusive pinturas sobre são Jorge matando o dragão. Mais tarde, vim a saber que o rei Ludwig também admirava a história dos templários e acreditava ser um deles.E que era um grande admirador e incentivador de Richard Wagner. Um dos cômodos foi decorado exclusivamente para uso do compositor. O cômodo que eu mais gostei foi a sala de banquetes. Uma mesa enorme com centros de mesa todos feito em ouro. Lindíssimos. Deixou a todos boquiabertos. A guia explicou que não ficavam a mesa estes centros. Aquilo era só para exposição. O tour dura cerca de meia hora mas nem percebemos, passou muito rápido. Não pode tocar em nada e nem tirar fotos. Tudo com a finalidade de preservar o lugar. Melhor assim, muitas gerações merecem ver esta maravilha construída pelo homem.

Neuschwanstein Schloss (Castelo do Novo Cisne de Pedra)

Há três modos de se chegar ao Neuschwanstein: a pé, de carruagem ou de ônibus. Cada um vale, respectivamente 0, € 6 e € 1,80. Eu já havia lido que o caminho a pé era cansativo e durava uns 40 minutos. Qual foi o caminho que escolhemos? A pé! Quase morremos, mas conseguimos chegar lá. O castelo é muito bonito. Aliás já está faltando adjetivos para eu usar. Acabei não tirando muitas fotos do seu exterior, preferi admirá-lo. O grupo para o tour é bem maior que o Hohenschwangau. A guia explicou resumidamente a história do castelo, do rei que foi considerado louco.

Há referências ao cisne em toda a parte, desde pintura e esculturas até na maçanetas das portas de madeira entalhada.

O cômodo mais majestoso é o salão onde seriam feitas as óperas de Wagner. Wagner morreu anos antes do castelo ficar pronto e o rei Ludwig só viveu apenas poucos dias em Neuschwanstein. O rei Ludwig foi considerado louco por gastar tanto dinheiro com o castelo. Mais tarde, foi encontrado morto junto com seu psiquiatra no lago próximo ao castelo.

Triste história. Reza a lenda que foi tudo armação do seu tio Luitzpold, com finalidade de tomar-lhe o trono, visto que era o primeiro na lista de sucessão. Otto, irmão de Ludwig, faleceu e não deixou herdeiros. Uma realidade triste para um castelo de sonhos. Um lugar de sonhos.

Na saída, visitamos a cozinha, as lojas de souvenirs, claro. E fizemos mais uma caminhada íngreme para a Marienbrucke, a ponte onde temos uma vista incrível do castelo e das redondezas. Ainda tivemos fôlego para ir até mais perto da cascata.

Voltamos todos muito felizes pelos momentos incríveis que tivemos. Os gringos chamaram este dia de “The big day”. O que eu concordo plenamente. O Castelo de Neuschwanstein é o melhor passeio para quem está visitando Munique. É realmente imperdível!

Aumentando o vocabulário em alemão

Brucke – ponte
Neue – novo
Schloss – castelo
Schwan – cisne
Stein – pedra

Quem converte não diverte

Bilhete de trem Munique – Fussen:  € 5,76
Ingresso Tour Hohenschwangau + Neuschwanstein: € 15,00
Conhecer o interior do castelo e vê-lo da ponte Marienbrucke:  Não tem preço!


Categorias: Alemanha Europa Munique
Tags:

6 Comentários

  1. Antonio Santos da Costa disse:

    Gostei ,mas achei muito pouco de um paiz como a Alemanha .

  2. joana disse:

    Vale a pena conhecer os dois castelos? Pensamos em visitar internamente apenas o Neuschwanstein

  3. Flávia disse:

    Lindas as fotos. Estive por lá em Janeiro…Inverno rigoroso e belíssimas paisagens. Mas os jardins estavam cobertos e a faixada também foi preservada do frio intenso. De qualquer forma, as montanhas nevadas a caminho do castelo já valeu o passeio. Visitem! é encantador!

  4. Renata Kafuri disse:

    Parabéns pelo site. Ótimas informações. Excelentes fotos. Só não consegui tirar cópia para anexar em minha agenda. Uma pena!!!
    Abç.

  5. Duda Soares disse:

    tenho que fazer um trabalho sobre neushanstein e esse site me ajudou muito!!!!!!
    =)valeu

Deixe seu comentário