Islas Ballestas e Reserva nacional de Paracas

11 fevereiro 2015

Huacachina está a 10 minutos de Ica. Ica está aproximadamente há uma hora de Paracas. Luís, o guia-motorista, apareceu às seis e meia da manhã para nos buscar. O hotel gentilmente nos ofereceu o café às 06:15. Eu acabei não comendo muito porque passei mal à noite. Talvez por causa do hambúrguer que havia comido na noite passada. Nada que muita água e um floratil não desse jeito. No passeio, um jovem casal de holandeses nos acompanhou. O casal de holandeses era super-simpático e faziam várias perguntas. Só que o Luís não fala inglês! Então, eu fui a tradutora macarrônica dos holandeses. Fiz uma enorme confusão, misturei inglês com espanhol mas acho que tudo deu certo no final 😉

Islas Ballestas

As ilhas Ballestas são um arquipélago perto do balneário de Paracas. São conhecidas por ser habitat de diversas espécies  de aves, pinguins de Humbolt e leões marinhos. Chega-se até as ilhas por meio de lanchas saindo do porto de Paracas.

Chegamos em Paracas às 07:30. A cidade litorânea possui um calçadão. Observei várias crianças brincando, lojas de artesanato, restaurantes. Achei um lugar agradável. Nada como ter o mar por perto!  Aguardamos até sermos chamado para o passeio de lancha para Islas Ballestas, que começaria às 08:00.

Luís nos conduziu a uma grande fila formada ali no malecón. Já na fila, pagamos as taxas devidas ( a do porto e de cada passeio na região).  As pessoas são separadas em grupos, que depois são direcionados a uma das vários lanchas ancoradas.  A princípio, parece confuso mas tudo é feito de forma rápida.

Ao entrar na lancha, somos orientados a vestir a escolher um lugar e vestir o colete salva-vidas (chaleco). Luís nos orientou a sentar do lado direito do meio para popa, para não nos molharmos. Não foi necessário, a guia já havia informado que na frente do barco (a proa), iriam as crianças. Não eram crianças. Eram adolescentes que inclusive pagaram bem mais barato que nós. Ao longo do passeio vimos que a dica do Luís foi uma dica furada. Quem sentou do lado direito foi privilegiado principalmente na hora de fotografar sem ter papagaio de pirata nas fotos. O passeio de barco tem uma guia que nos explica sobre o que são as ilhas Ballestas e as espécies que ali habitam.  A primeira parada é o Candelabro, parecido com uma das figuras das linhas de Nasca. Ao chegar nas ilhas, muitos animais como leões marinhos, pinguins, gaivotas e várias espécies de aves. Parece que todas as aves do mundo estão lá. Adorei o passeio, principalmente porque ali é a natureza como ela é.

Islas Ballestas

Nota:  Eu havia lido um relato em que a pessoa reclamou do cheiro do passeio. Vim preparada para o pior. Realmente, em um determinado momento o cheiro é forte mas não é nada insuportável. Nada comparável ao cheiro do Mercadão de Madureira antes do incêndio. Quem mora em subúrbio do Rio e tem mais de 30 sabe do que estou falando.

Dica de ouro: leve agasalho porque venta muito e o vento é gelado.

Reserva Nacional de Paracas

Por volta das onze da manhã, nós fomos de carro com o Luís rumo a reserva nacional de Paracas. O Luís combinou com o colega dele que fala inglês de levar os holandeses numa van e a francesa no ônibus, onde haveria guias bilíngues.

Logo após a guarita, o Luís apontou em direção ao mar, nos contando onde ficava o museu de Ica, que foi destruído por um terremoto. Alguns metros a frente, foi construído um museu. Na verdade, eles falam que não é um museu mas sim uma interpretação do que havia no antigo museu de Ica. O guia nos explicou o que é a reserva nacional de Paracas. Falou sobre os animais da região, as placas tectônicas e  a corrente de Humboldt que levou esse nome por causa do estudioso mas ali é conhecida como corrente do Peru.  O que vi na reserva: um deserto colorido com dunas de cor ocre e avermelha. Segundo o Luís, são dunas de sal misturando com argila. Parando em vários miradores. Um com vista para Playa Roja, cuja areia é vermelha (roja = vermelho), outro com vista para a Playa de Lagunilla, nossa última parada, onde almoçamos.

Almoçamos no restaurante Sol de Oro. Pedimos um pescado a la plancha (corvina ou linguado) e um pollo a la plancha. Pescado e pollo são peixe e frango em espanhol, respectivamente. Um prato a la plancha é composto de uma proteína (peixe ou frango, na maioria das vezes), batatas fritas, arroz e salada com molho. Os pratos são bem servidos e dá para duas pessoas.  Ficamos por um bom tempo por ali. Até subi a duna para ter uma panorâmica da praia.

 

Reserva Nacional de Paracas

Voltamos a Huacachina às 16:00 e pegamos um trânsito pesado em Ica.  Graças a sugestão da atendente da Peru in your hands, decidimos ir para Lima hoje mesmo e aproveitar o dia todo. Assim, compramos a passagem para Lima das 18:00. Neste meio tempo, ficamos no hotel aproveitando o wifi e combinamos com a recepcionista de chamar um táxi (na verdade, um tuk tuk) para nos levar ao terminal da Cruz del Sur de Ica.

Dica de ouro: não vá de tênis branco para a Reserva Nacional.A menos que queira vê-lo na cor marrom.

Quem converte não diverte

Diária Hosteria Suiza, quarto duplo: 177 PEN
Taxa portuária Ilhas Ballestas: 2 PEN
Taxa Islas Ballestas e Reserva Nacional de Paracas:  15 PEN
Pescado a la Plancha, restaurante Sol de Oro – Lagunilla: 45 PEN
Pollo a la Plancha, restaurante Sol de Oro – Lagunilla: 30 PEN
Táxi Huachina – Ica (terminal Cruz del Sur): 8 PEN
Água mineral 625mL: 2 PEN
Ônibus Cruz del Sur Ica-Lima: 41 PEN

8 Comentários

  1. Paola disse:

    Olá, vocês tem um e-mail que posso me comunicar com o pessoal da Peru in your hands?

  2. Leticia disse:

    Olá, Pat!
    Quero fazer esses passeios em janeiro de 2016.
    Vi que você colocou um total de 17 PEN, mas na agência estão cobrando 57 dólares, incluindo o translado da rodoviaria ao porto! Achei muito grande a diferença…
    Sera que consigo fechar esses passeios chegando lá na rodoviária de Paracas? Ou você aconselha já fechar com a agência?

    Se puder me ajudar, agradeço muito!!
    Bjs

    • Leticia disse:

      OBS: os passeios de Islas Ballestas e Reserva Nacional de Paracas – PERU

    • Pat Alves disse:

      Oi, Leticia!

      Eu vou ver em casa se acho as notas fiscais e posto pra você! Eu acho que consegue sim fechar em Paracas. Li que consegue fechar os passeios até com a Cruz del Sur.

    • Pat Alves disse:

      Leticia,

      Dê uma olhadinha nos posts anteriores. Eu paguei 17 soles de taxas aeroportuárias mas o passeio para Ballestas e Paracas junto com as Bodegas e Areneros custo 160 soles. Tudo.

  3. pati disse:

    Oii pat!! td bem? vou viajar com a minha familia em julho e estamos muito na duvida. Eu amei seu blog e suas dicas e acho que sua opinião nos ajudaria muito
    A duvida é entre Italia e Turquia (fui para europa apenas 1 vez passando por madrid, frankfut, londres e paris). Se formos para a Italia pensamos em alugar um carro e ir por conta propria, já na turquia seria um pacote visitando as principais cidades. OBS: 14 dias de viagem
    Fico com medo da viagem pela Italia ser com muitos passeios gastronômicos (o que minha familia não é muuito fã) e romântica (vou estar com meus pais e irmão). Estou sendo muito radical? O que vc acha que valeria mais a pena? Estou bem perdida mesmo heheh espero que vc possa nos ajudar!
    Desde ja obrigada, pati
    (tentei mandar email pelo site mas não consegui)

    • Pat Alves disse:

      Oi, Patricia!

      Eu tenho que resolver este negócio do e-mail! Então, eu fui sozinha para Itália e para Turquia fui com minhas amigas. Adorei os dois lugares. Eu não acho que a Itália seja somente destino romântico. Eu conheci Veneza (não vou comentar porque eu sou a única pessoa da face da Terra que detestou Veneza), Florença e algumas cidades da Toscana e Roma. Talvez as cidades da Toscana sim remetam ao romantismo porque é lindo ver os campos de girassóis, aquela paisagem bucólica… Bom, acho que é mais fácil você procurar ver o que agrada mais a todos. A Turquia é um país muito bonito, muito diferente daqui, com muita História. Gostei muito da Turquia! Não gostei da comida turca. Veja se seus pais são apreciadores de vinhos, se preferem turismo religioso, se gostam de História Antiga. Já na Itália, vocês ainda podem ir para Pompeia, Nápoles. Puxa, acho que não ajudei em nada…risos

Deixe seu comentário