Peru: comentando o roteiro

15 janeiro 2015

No post Peru – o roteiro eu falo sobre os passeios que faria em cada viagem no Mochilão de 2011. Agora, falarei um pouco mais do roteiro planejado e do realizado nesta segunda viagem ao Peru.

Peru: roteiro Planejado x roteiro Realizado

Roteiro planejado

Peru Roteiro Planejado

Clique na imagem para ampliar

Roteiro Realizado

Peru Roteiro Realizado

Clique na imagem para ampliar

Comentários sobre o roteiro realizado (o que funcionou, o que poderia ter sido feito, etc.)

Roteiro planejado Blog Peru

Dia 01 – Chegada em Lima e city-tour com a Peruvian Local Friends

O voo chegou no horário esperado e o transfer estava nos aguardando. Chegamos no hotel, deixamos as malas no depósito e fizemos o tour guiado a pé. Particularmente, gostei do tour mas eu esperava mais como por exemplo, um passeio pelas feiras da cidade e não pelo mercado, como fizemos. Senti falta de mais história do país no tour. Ainda assim, recomendo o tour pois você recebe dicas da cidade, tem o passeio pelo museu de São Francisco com guia exclusivo e tem uma noção geral da História de Lima.

Sobre o que eu planejei para o primeiro dia, eu mudaria.  Com o horário de verão, ganhamos umas 3h no dia. Foi aí que pensei em colocar o city-tour neste dia. Só que na verdade, essas horas que ganhei foram perdidas para o cansaço. Eu saí bem cedo de casa para chegar ao aeroporto com antecedência. Somadas com um voo de cinco horas mais um trajeto de quase 1h do aeroporto até Miraflores, estava moída. Então, hoje se eu tivesse que repetir o roteiro, teria ido direto do aeroporto para o hotel, descansado e depois sim, ter conhecido Miraflores.

Dia 02 – Conhecendo o bairro Miraflores

Com o mapa em mãos, vamos conhecer o bairro de Miraflores, bairro recomendado para hospedar-se em Lima.  O que conhecer em Miraflores? O calçadão beira-mar chamado de Malecón, o Parque Kennedy,  o shopping Larcomar e o sítio arqueológico de Huacla Puclana.

Parque Del Amor

Um dia dá para conhecer o bairro de Miraflores, que é um bairro superagradável.  Se um dia voltar para Lima, é ali que ficarei hospedada. Do hotel, saímos a caminhar pelo Malecón de Miraflores (calçadão). Conhecemos o Parque Kennedy, o parque Del Amor. Almoçamos no restaurante Tanta, da griffe Astrid y Gastón. Só faltou ir ao Lacomar. Que não conhecemos neste dia.   É preciso só ter disposição para andar se quer conhecer Miraflores. O sítio Huacla Puclana dá para fazer no finalzinho do dia. Aconselharia a ir de táxi. Não conhecemos pois o museu está fechado às terças e eu não havia anotado isto. Dá pra andar a pé sim, mas é um longo caminho.

Dia 03 – Sítio arqueológico Huacla Puclana e chegada em Huacachina

Gostamos de Lima e queríamos até ficar mais um dia porém não havia mais vaga no hotel e eu nem cogitava em ficar em outro. Então, seguimos o roteiro. De manhã, visitamos a Huacla Puclana.  Não gostamos lhufas do sítio (pessoas cultas, perdoem-me!) e só por ter visitado o lugar e não gostado já havia me arrependido de não ter ido logo para Ica e de preferência, no ônibus das 03:45 como planejado. Chegamos em Ica às 19:00 aproximadamente a tempo de apenas procurar o hotel e comer algo. As passagens de ônibus foram compradas no dia anterior, no supermercado Won próximo ao hotel.

Para nós foi um dia perdido. Se tivesse que repetir o roteiro hoje, manteria o roteiro previsto: pegar o ônibus da das 03:45, descer em Paracas e fazer os passeios Isla Ballestas e Reserva Nacional de Paracas. Dormiria em Paracas ou no final da tarde, seguiria para Ica e logo depois tomaria um mototáxi para Huacachina. Na hora de planejar sua viagem lembre-se que são 4h de ônibus o trecho Lima – Ica, 2h de Paracas  a Ica e 10 minutos de Ica até Huacachina.

Huacla Puclana e Huacachina

Dia 04 – Passeios em Huacachina e Ica: Bodegas de Ica e Sandboard e bugue nas dunas de Huacachina

O passeio para Bodegas de Ica pode ser feito em agências ou você fechar um preço com taxista local.  Recomendo a agência Peru in your Hands. Como fechei os passeios com esta e não tive problemas, recomendo-a. Na verdade, o ideal é você pesquisar em várias agências. O passeio sai às 13:00 e volta pouco antes das 16:00. Conhece-se duas vinícolas: a Tacama – a mais antiga e a Catador, cujo processo do pisco é artesanal. A título de curiosidade, bodega em espanhol pode ter vários significados mas uma bodega de viños pode significar vinícola como também a adega ou taberna.

Dá para conjugar o tour às bodegas com o passeio de bugue e sandboard pelas dunas. Os peruanos chamam os bugues de areneros.  Os bugues são bem diferentes dos daqui. São maiores, mais potentes e os passageiros tem que usar o cinto de segurança. O passeio de bugue é para os fortes. O bugue saculeja bastante e em várias vezes, dá a sensação que cairá no precipício (mas não cai, é ilusão de ótica!). Para os menos destemidos, recomendo olhar para o lado e não sentar no banco do carona. Eu adorei o passeio. Durante o passeio há paradas para praticar o sandboard. Só o fiz nas primeiras dunas. Com o desenrolar do passeio, estas vão ficando cada vez mais altas. O ápice do passeio termina com o por-do-sol com visão panorâmica de todo o oásis.

Cá entre nós, Huacachina é bonitinha e tranquila mas eu acho que não merece mais do que um pernoite. Sei que muita gente não gosta de viagens em ritmo acelerado mas sendo franca, se você quer descansar na viagem ou  fazê-la num ritmo mais lento, melhor que faça em Cusco.

Bodega Tacama e Areneros

Resumindo:

  • Bodegas de Ica  – visita guiada às vinícolas Tacama e El Catador. Saídas às 13:00 e chegada às 16:00 em Huacachina.
  • Areneros – passeio de bugue e sandboard pelas dunas de Huacachina. Saídas às 16:00 e término às 18:00, logo  após o pôr-do-sol. Na entrada das dunas é cobrada  uma taxa de entrada. Valor em novembro de 2014: 3,80 PEN

Daqui eu pernoitaria em Huacachina.

Dia 05 – Passeios em Paracas: Islas Ballestas e Reserva Nacional. Volta a Lima.

Estes passeios é melhor fazer em Paracas pois é lá que estão as Islas Ballestas e a Reserva Nacional. Nós fizemos a partir de Huacachina e tivemos que sair às 06:30 do hotel. É padronizado fazer o Islas Ballestas pela manhã e o Reserva Nacional logo após o almoço.

Passeios em Paracas

Islas Ballestas é um passeio de barco agradável. Vai por mim e escolha o lado esquerdo para sentar. Nós seguimos a sugestão do nosso motorista-guia da agência e sentamos do lado direito mas o barco em que fomos não deu volta para todos apreciarem. Foi difícil tirar algumas fotos como a do Candelabro.  Neste passeio vemos muitos animais como aves diversas e leões marinhos. Eu li um relato de comentário de uma brasileira que disse que talvez não faria o passeio de novo por causa do cheiro (das aves em especial). Reparei nisso mas eu achei suportável. Outra coisa: haverá vendedores que tentarão te convencer a comprar chapéus para você proteger sua cabeça do cocô das aves. Não compramos e deu tudo certo mas reparei que a maioria das pessoas do barco estava com chapéu. Não sei se tem relação mas como o vento é gelado, leve uma jaqueta com capuz. Assim, você mata dois coelhos com uma paulada só. Dentro do barco vai uma pessoa que te explica sobre as correntes de Humbolt (que eles chamam de correntes peruanas) e sobre as dezenas de espécies que observaremos nas ilhas. O passeio é bem agradável.

Reserva Nacional de Paracas é outro passeio interessante. Você conhece paisagens desérticas e aprende um pouco sobre as espécies que na costa peruana.  O almoço é em Lagunilla.

Na volta para Huacachina, pegamos nossas malas já deixadas com antecedência no depósito do hotel e pegamos o mototáxi para Ica. Compramos as passagens na própria agência. Elas dão na verdade um voucher que ao chegar no Terminal de buses (ônibus) é trocado por passagem. De lá, com muito trânsito na estrada, chegamos em Lima quase meia-noite. Com isso, não fizemos os passeios em Nasca pois perdemos um dia no deslocamento de Lima para Ica no dia 3.

Resumindo:

  • Islas Ballestas – passeio de barco para contemplação das Islas Ballestas. Saída às 06:30 de Huacachina. O barco sai às 08:00 do porto de Paracas e retorna às 10:00.
  • Reserva Nacional – conhecer a paisagem desértica da Reserva Nacional de Paracas com parada no novo museu. Inicia-se às 11:00 em Paracas. Almoço em Lagunilla (não incluso no preço do passeio). Chegada em Ica às 16:00

Dia 06 – Museu Rafael Larco. Shopping Larcomar. Parque de La Reserva e Circuito Mágico das Águas

Fomos conhecer o Museu Rafael Larco que tem muitos objetos de civilizações pré-incaicas. O museu é caro mas na minha opinião é muito interessante. Se quiser, oferece serviços de guia em português por mais 30 soles. À tarde, fomos conhecer o Shopping Larcomar e andar pelo malecón. A noite terminou com o Circuito Mágico das Águas. Gostei de tudo, a única mudança que eu faria é chegar mais cedo ao Parque de La Reserva pois na hora que chegamos já não tinha como garantir um bom lugar para ver o espetáculo.

Larcomar-Reserva

Dia 07 – Aéreo Lima – Cusco. Descanso para aclimatação

Com as passagens aéreas compradas uns 3 dias antes em Lima, fomos no primeiro voo da Star Peru para Cusco.  Hoje, não teria comprado o aéreo se tivesse que sair de Nasca. Teria chegado a Cusco de ônibus e já começaria a aclimatação na viagem. O dia realmente foi reservado para descansar. Fizemos o check-in no hotel, conhecemos a Plaza de Armas e depois fiquei o dia inteiro no quarto sofrendo com os males da altitude.

Plaza de Armas

Dia 08 – Q’Orikancha e Centro Q’Osqo de Arte Nativo

Após a melhora, saímos para fechar os passeios para o Vale Sagrado. Depois seguimos pela Avenida El Sol para comprar o boleto turístico no Museu do Q’Orikancha. Aproveitamos e já conhecemos o museu e fizemos uma visitação pelo Convento de Santo Domingo, pagando pelos serviços de uma guia ótima.  Uma hora depois, assistimos as danças típicas apresentadas no Centro Q’Osqo de Arte Nativo que começa às 19:00. A visitação ao Q’Orikancha levou mais ou menos umas 2h.

QOrikancha

Dia 09 – Vale Sagrado e trem Ollantaytambo – Águas Calientes

Saímos às 08:00 do hostel para fazer o passeio Valle Sagrado. O Valle Sagrado é belíssimo e infelizmente no tour das agências acaba tudo sendo feito rapidamente. Se puderem, façam o tour privativo pois terão mais tempo de contemplar o lugar e de aprender mais, tudo a seu tempo. Vale muito a pena. O passeio começa em Pisaq, para nos mercados de Pisaq e na joalheria. Segue para almoço em Urubamba (almoço típico) e a visita às ruínas de Ollantaytambo.  O guia pergunta se há pessoas que ficarão em Ollantaytambo e o horário do trem para Águas Calientes (é comum as pessoas aproveitarem o passeio para o Valle Sagrado para pegar o trem em Ollantaytambo).  É possível pegar o ônibus das 16:30 mas acredite que você só passará por Ollantaytambo. Então, para aproveitar mais o sítio, escolha o trem das 19:00.  A estação de Ollanta fica próximo à entrada das ruínas.  O povoado tem muitos cafés. Dá tempo de lanchar algo. Não esqueça de mandar e-mail para o hotel/pousada/hostel que ficará em Águas Calientes para que possam te buscar na estação. Mesmo pegando o trem das 19:00, as bilheterias para compra da passagem do ônibus para Machu Picchu estarão abertas. Foi o que fizemos.

Vale Sagrado

O que eu faria hoje: com certeza, um tour privativo para o Valle Sagrado. Uma manhã para Pisaq e à tarde para Ollantaytambo. No mesmo dia, iria para Águas Calientes. Na volta de Machu Picchu, pernoitaria em Ollantaytambo mesmo porque eu achei esta cidade um charme. De lá, faria os passeios para Moray e Maras e seguiria para Cusco.

Dia 10 – Machu Picchu e volta para Cusco

Como não compramos o ingresso com direito a subida a Huayna Picchu, pretendíamos sair às 06:00 do hostal. Como o tempo no dia anterior foi chuvoso e a recepcionista do hostal disse que não valeria a pena sair cedo pois veríamos tudo encoberto, saímos às 07:00. Em Cusco, esquecemos de fechar o guia com o hostel com antecedência. No final das contas, não contratamos guia em MP. Andamos tudo aquilo por conta própria. Manhã a vista clássica parcialmente coberta. Com o tempo, as nuvens foram se dissipando. Eu comprei o trem da volta para 16:30 mas saímos cedo da cidadela pois não caminhamos até a Puente Inca nem fizemos o percurso para Puerta del Sol. Acabamos esperando por duas horas na estação. A volta em comprei o trem para Poroy. Não sei se compraria novamente pois a viagem foi muito demorada.

Machu Picchu

O que eu faria hoje: Subiria a Huayna Picchu e faria todas as trilhas da cidadela. Contrataria os serviços de um guia. Caso contrário, a cidadela é um amontoado de pedras.

Dia 11 – Salineras de Maras e Círculos de Moray

Pegamos a van novamente na plaza San Francisco. A primeira parada é em Moray. Há infraestrutura melhor que na primeira vez que eu vim mas continuam os banheiros sem papel higiênico.

O mês de novembro revelou os círculos de Moray bem secos. Em 2011, podia-se descer até o centro dos círculos. Hoje isto está proibido para fins de preservação. As fotos com a grama bem verde provavelmente foram tiradas no inverno.

Este dia foi redondo e é o que a maioria das pessoas fazem. Hoje, eu faria este passeio a partir de Ollantaytambo com volta para Cusco.

Moray & Maras

Dia 12 – Sacsayhuamán. Aéreo Cusco – Lima. Aéreo Lima – Rio de Janeiro

Nosso voo era à tarde e eu queria que minha amiga conhecesse Sacsayhuamán, a melhor das ruínas próximas a Cusco (opinião pessoal). Fechamos com o taxista que nos levou da estação Poroy até Cusco, o transfer para o aeroporto e uma visita à ruína. Na entrada da Sacsayhuamán, uma guia ofereceu seus serviços de guia mas nós recusamos.  Aproveitamos o ensejo e fomos para o Cristo Blanco, pertinho das ruínas. De lá, se tem a visão do Centro Histórico de Cusco. Voltamos ao hotel para pegar as malas e irmos ao aeroporto. Como chegamos cedo, ainda deu tempo de almoçar em um dos restaurantes em frente ao aeroporto, pagando muito menos que pagaríamos na Plaza de Armas.  Foram cinco longas e entendiantes horas de espera no aeroporto de Lima. Se puder, evite isso. Deixe então para conhecer Lima por último, apesar de Cusco ser a cereja do bolo.

O que eu faria hoje?

Além do que foi comentado, colocaria mais um dois dias em Cusco. Há alguns museus e monumentos que não deu para conhecer por causa dos dias contados e porque  eu passei muito mal no primeiro dia.

Hoje, se eu tivesse os mesmos 12 dias eu faria assim:

Peru Roteiro Ideal

  • O sentido do roteiro seria: Rio > Cusco + Lima > Rio com um voo interno Cusc0 – Lima;
  • Excluiria Nasca;
  • Se estivesse certa que não subiria a Huayna Picchu, não faria o pernoite em Águas Calientes mas sim Ollantaytambo, que achei mais charmosa e na manhã seguinte, pegaria o primeiro trem para Águas Calientes;
  • De Ollantaytambo, faria o passeio Maras & Moray;
  • Todos os tours em Cusco seriam particulares;
  • Ficaria uma noite em Paracas e uma noite em Huacachina;
  • O dia a mais que ganhei em Lima seria para conhecer Caral, a mais antiga cidade das Américas ou para passar mais um dia na agradável Cusco.

São muitas opções, saiba o seu estilo de viagem para fazer o seu roteiro.

2 Comentários

  1. Márjore Campos disse:

    Olá, tudo bem? Se você pudesse me ajudar seria ótimo!
    Estou indo em Maio para o Peru, um roteiro de 3 dias e meio em Lima, chego em Cusco no quarto dia por volta de 16:30 e não farei nada nesse dia, só aclimatação. Tenho 5 dias inteiros em Cusco excluindo o dia da aclimatação, e fiquei com bastante dúvida depois de ler seu post se faço o pernoite em Ollantaytambo ou Aguas Calientes.
    Quero muito fazer o passeio pelo Vale Sul (Moray e Maras) e pelo que você falou fica melhor fazer voltando para Cusco… Minha pergunta é, como você fez esse tour? Foi privativo? Queria tentar incluir Tippon, Pikkilakta e Andahuaylillas nesse dia também.

    • Pat Alves disse:

      Márjore,

      Tudo bem? Fiz o tour a partir de Cusco. Mas a região de Moray e Maras ficam mais próximas de Ollanta e seria bem mais óbvio fazer o passeio de lá. Esta segunda vez que estive no Peru deu para perceber que Ollanta é uma graça. Para ir a Macchu Picchu, melhor o pernoite em Águas Calientes, principalmente se quiser chegar cedo. Na volta, eu dormiria em Ollanta sim. TE dou uma sugestão: vai lá no fórum dos Mochileiros (www.mochileiros.com), na página do Peru e faça a pergunta. Como tem gente que foi mais recente, pode te orientar melhor. Você vai adorar o país, que é lindo!

Deixe seu comentário