Planejando a viagem ao Sudeste Asiático

9 junho 2016

Eu sei que eu deveria continuar escrevendo sobre Cuba mas a vontade de escrever sobre a viagem das férias é muito maior. Passei quase um mês visitando o Sudeste Asiático, mais precisamente o Mianmar, a Tailândia e o Camboja.  Povos acolhedores com culturas e costumes tão diferentes dos nossos. O respeito à religião, as paisagens, os templos, etc. Foi uma experiência extremamente enriquecedora.

Por que a Ásia?

Eu não estava muito certa onde eu queria ir. Havia pensado no México, na Patagônia e por fim, estava com duas opções: um mochilão pela América Central (do Panamá até Belize) e  uma viagem para Tailândia, Vietnã e Camboja. Com o alto valor do dólar, lógico que o custo da viagem era o que mais pesaria na decisão. Nas minhas pesquisas, não havia muita diferença no orçamento para as duas viagens. Explico: a passagem para a Ásia é mais cara porém o custo de vida lá é mais baixo, por isso acho que acaba ficando um pouco equilibrado.  Nos últimos anos, tenho viajado com frequência pela América Latina e não posso negar que prefiro ir para estes países, principalmente por causa da facilidade do idioma e de já saber lidar com as malandragens dores e as delícias de estar em um país latino. Contra a Ásia, pesava o receio de ir para um lugar distante e com cultura tão diferente da nossa. Alguns também diriam que a comida também é um empecilho (durante a viagem, pude confirmar que o medo é infundado).

Com o surgimento de uma promoção da Emirates (que nem foi tão promoção, assim comparada com as várias que pipocaram nas últimas semanas) e o incentivo de um colega do trabalho que havia visitado e gostado muito de ter conhecido a Tailândia no ano passado (Obrigada, Felipe!), tomei coragem e comprei as passagens e do roteiro inicial, retirei o Vietnã e coloquei o Mianmar. Posso adiantar que foi a melhor viagem que fiz na vida.   O melhor tudo não foi a beleza das praias tailandesas nem a imponência dos templos de Angkor; muito menos o céu repleto de balões em Bagan. O melhor de tudo foi conhecer as pessoas e aprender algo com elas.  Difícil não se apaixonar pela Ásia!

O melhor da viagem

 Grand Palace

Grand Palace

Grand Palace

O Grande Palácio Real é um complexo de edificações que no passado foi a residência oficial dos reis da Tailândia. Grande parte está aberta ao público, incluído o Wat Phra Kaew (Templo do Buda Esmeralda). Majestoso!

Os templos de Bagan

Entre os séculos XII e XII, Bagan foi a capital da Birmânia (hoje, Mianmar) e importante centro religioso e cultural.  A cidade possui mais de 3.000 templos! Para conhecer alguns deles, basta alugar uma bicicleta elétrica e com auxílio de um mapa, entrar e visitar quantos desejar. No final do dia, há os templos conhecidos onde podemos subir até o topo para contemplar o pôr-do-sol. Porém, o maior espetáculo acontece nas primeiras horas do dia, durantes os meses de novembro e abril:  os balões começam a surgir nos céus de Bagan e aqueles que podem pagar pelo passeio, tem uma vista esplêndida da cidade.

Entardecer em Bagan

Bagan

Os templos de Angkor

Angkor Wat

Nos arredores de Siem Reap localiza-se o complexo de templos de Angkor, a antiga capital do império Khmerr. Ocupa uma área de aproximadamente 400m²  cercado pela floresta.  Foi “descoberto” pelos franceses, durante o período que o Camboja era colônia francesa. Considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, Angkor é o maior complexo religioso do mundo.  Seu templo mais importante, Angkor Wat, é o cartão-postal do país, aparecendo inclusive na bandeira nacional.   Um guia turístico faz toda a diferença para entender o que é Angkor. Por dois dias, conheci os principais templos com um guia em português. Aprendi bastante sobre o Hinduísmo e o Budismo.

Apreciar todos os dias o pôr-do-sol em Railay Beach

Pôr-do-sol em Railay Beach

Railay Beach é o nome de uma península que é ponto de partida de passeios para as paradisíacas ilhas da região. Além disso, tem uma praia que já vale a viagem por si só.  Ao cair da tarde, todos parecem ir rumo a praia principal,  Railay West, apreciar o belo pôr-do-sol.

Conhecer Maya bay e passar a noite em um barco ancorado por lá

Chegando em Maya Bay

Maya Bay

Maya bay é a famosa praia do filme estrelado por Leonardo di Caprio, “A Praia”. Definitivamente,  o lugar é lindo. O reflexo do sol na água e os paredões rochosos só fazem embelezá-la ainda mais.  Como todos querem conhecer “A Praia”, ela fica muvucada e isso acaba tirando a imagem de paraíso perdido. Planejei fugir da muvuca fazendo o passeio Maya bay sleep aboard. O barco chega já no final da tarde, quando a maior parte dos turistas já foi embora. À noite, nadamos com os plânctons bioluminescentes. Este foi o ápice do passeio. Todos ficaram maravilhados com a experiência!

Apreciar a vista de Ko Nang Yuan

Koh Nang Yuan - view point

Ko Nang Yuan é uma ilha tailandesa vizinha a ilha de Ko Tao.  Na maré baixa, aparece a faixa de areia que une as três ilhotas. Bom lugar para snorkel, tomar sol e apreciar a vista.

Por último, mas igualmente importante: o hábito de fazer uma boa massagem nas pernas e pés em um final de dia cansativo 😉  Isso não é luxo, é necessidade! Ainda mais com preços convidativos. É bem mais barato que no Brasil e fiz em quase todos os dias da viagem.

É sobre estes lugares, onde passei ótimos momentos, que falarei nos próximos posts, dando dicas e contando sobre as minhas impressões. Então, se estiver curioso ou se um dia pretende ir para o outro lado do mundo e tem toda a paciência do mundo para ler, senta que lá vem história!

10 Comentários

  1. José Lopes disse:

    Você falou em deixar a mala em bangkok, sabe o valor desse serviço?

  2. Gi disse:

    Oi Pat!
    Te mandei um e-mail mas vc não respondeu 🙁
    O que vc me diz de uma viagem pra India, Jordânia e Egito pra 2017?
    Quer me acompanhar? 😀
    Ia ser um bom material pra seu blog, e também pro meu futuro blog rsrs
    Bjss

    • Pat Alves disse:

      Oi, Gi!

      Um dia quem sabe 🙂 Não sei se está uma boa época para ir ao Egito. Acabei de voltar do Pantanal e realmente ando muito interessada em viagens de ecoturismo. Dou a maior força para sua viagem!

      • Gi disse:

        Valeu Pat!
        Eu vou pra Tailândia no fim do ano….uma coisa me aflige: de Krabi vou para Railay beach de barco….posso levar uma mala tamanho M? Pq li em alguns blogs que disseram que eram maior roubada ir de mala M para Railay Beach, pq se a maré tá baixa, é necessário levar a mala em cima da cabeça, pq o barco não consegue chegar no trapiche para desembarque. Mas viajar de mala tamanho P é uma grande dificuldade pra mim rsrs
        ps: Jordania tbm tem um pouco de ecoturismo por causa dos passeios ao mar morto 😉
        se mudar de ideia até ano que vem, me manda um e-mail

        • Pat Alves disse:

          Oi, Gi!

          Você pode ir de mala tamanho M se for descer em Railay East. Se for para Railay West onde está o Sand Sea Resort, é melhor ir de mochila grande. Em breve falarei sobre a viagem. Uma opção boa seria você ir de mala P e mochila. A mala grande você pode deixar no aeroporto de Bangkok, o BKK.

  3. Debora A. disse:

    Oi, Pat! Adorando ler suas experiências no Sudeste Asiático! Gostaria de saber como vc organizou seu roteiro.Tenho vontade de fazer essa viagem com minha filha de 19 anos, mas ainda não tive coragem.

  4. Denise disse:

    Olá Pat, estou adorando seu relato e estou ansiosa pelo restante da estória de sua viagem ao sudeste asiático. Está na minha lista, quem sabe em 2017…Aproveito para lhe agradecer o relato de sua viagem a Turquia pois usei-o para montar meu roteiro. Adorei a Turquia e voltaria com certeza. Parabéns!

Deixe seu comentário