Planejando a viagem ao Sudeste Asiático: o roteiro

10 setembro 2016

O Sudeste Asiático

Decidir quais os países a conhecer foi quase tão difícil quanto escolher os destinos do mochilão para a Europa. Há muitos lugares a se conhecer para tão pouco tempo!

Mapa do Sudeste da Ásia
Mapa Sudeste Asiático. Fonte: Mapsof.me

Então, a primeira coisa a termos em mente é não querer abraçar o mundo inteiro.  Eu tinha no máximo uns 30 dias  e não queria fazer algo como “sete países em 30 dias”. Particularmente, acho que ficaria a sensação de ter passado pelos lugares.  Então, como esboçar um roteiro?  Eu comecei a ler relatos de viagem  e fiz a lista de coisas que gostaria de ver, fazer e experimentar. Nas minhas viagens, eu sempre procuro mesclar praia, história e uma dose (moderada) de aventura. Veja só a minha lista de coisas que gostaria de conhecer no Sudeste Asiático:

  • Lagartear nas paradisíacas praias tailandesas;
  • Estar em Maya Bay sem a multidão de turistas, contratando o passeio Maya Bay Sleepaboard;
  • Passear de balão em Bagan, Mianmar;
  • Conhecer os templos em Angkor Wat, no Camboja.
  • Conhecer Ubud e os campos de arroz em Bali;
  • Conhecer Halong bay, Vietnã fazendo um cruzeiro de 2 dias;
  • Conhecer as ilhas Gili, Indonésia;
  • Fazer um city tour de moto no Vietnã: Ho Chi Minh (Saigon) ou Hanói;
  • Ter uma aula de culinária local ou fazer um tour gastronômico como por exemplo o de Hanói, Siem Reap ou Chiang Mai;
  • Passar um dia cuidando dos elefantes no Patara Elephant Park, em Chiang Mai.
  • Conhecer as cachoeiras Kuang Si e Tad Sae, no Laos;
  • Lagartear nas praias filipinas;

O roteiro planejado

O roteiro escolhido foi Myanmar, Tailândia e Camboja.  Primeiro, contato com o país que tem a cultura menos ocidentalizada (o Myanmar), depois a movimentada Bangkok, Siem Reap e os templos de Angkor para depois descansar nas praias tailandesas.  Sempre tento nas minhas viagens deixar o que eu imagino ser o melhor por último (eu gosto de praias). Também levo em consideração, em se tratando de viagens longas, relaxar nos últimos dias de viagem.

Eu fiz dezenas de roteiros até chegar ao roteiro final. Simulei trechos aéreos (importante para quem tem pouco tempo para conhecer tanta coisa!) e peguei a minha listinha e coloquei em ordem de prioridade e também pensei em outros roteiros para uma próxima viagem.  Como eu não tinha tempo nem dinheiro para conhecer tudo isto, eu cortei o Laos, a Indonésia (Bali) e o Vietnã. As passagens para o Laos são mais caras. Entre Vietnã e o Mianmar, preferi o último por ser o menos ocidentalizado.  Já Bali, penso em visitar numa viagem em conjugada com as Filipinas.

Os 30 dias da viagem foram divididos assim:

Voo Rio de Janeiro-Bangkok (ida-e-volta): 3 dias;
Mandalay, Myanmar: 1 dia inteiro;
Bagan, Myanmar: 3 dias inteiros;
Lago Inle, Myanmar: 2 dias inteiros;
Yangon, Myanmar: 2 dias inteiros;
Bangkok, Tailândia: 2 dias inteiros;
Siem Reap, Camboja: 2 dias inteiros;
Railay Beach, Tailândia: 2 dias inteiros;
Ko Phi Phi, Tailândia: 2 dias inteiros;
Ko Tao, Tailândia: 3 dias inteiros.
Dias de deslocamento: 8 dias;

 
01-roteiro-planejado

 

Ao planejar seu roteiro, lembre-se:

  • Não existe voo direto do Brasil para nenhum país do Sudeste Asiático. É muito chão! Existem muitas possibilidades de chegar até lá: ir pela Europa ou África ou pelo Oriente Médio.  Já de antemão eu falo: prepare-se para ficar sentado na poltrona do avião por horas.  Particularmente, eu preferi ir pelo Oriente Médio – por ser um pouco mais rápido e por haver a possibilidade de um stop-over em um país que não conheci.
  • Leia sobre os golpes nas fronteiras terrestres: ao pesquisar sobre os países você lerá sobre vários golpes aplicados na fronteira, principalmente entre Tailândia e Camboja. São oficiais solicitando uma propina para você ter o carimbo no passaporte. Um meio de evitar isso é indo de avião;
  • Pesquise sobre o clima: Eu fui no mês de abril e achei o calor no Mianmar e no Camboja insuportáveis. Eu já sabia que viajaria sob forte calor mas eu achei que tiraria de letra por morar no Rio. Não se enganem! Eu fico vendo as minhas fotos. Na maior parte delas, eu estou toda suada! O que mais me afetou foi o clima no Mianmar. Eu não tinha vontade de sair do ar condicionado do hotel (mas eu saí hein!) e apareceram bolhas na sola dos meus pés ao pisar no chão quente dos templos budistas. Eu sei que se conselho fosse bom, a gente vendia mas eu darei o meu assim mesmo: não vá no mês de abril para Tailândia, Camboja e Mianmar. Escolha ir entre novembro e fevereiro. É alta temporada, estará tudo cheio mas ó… aposto que deve ser bem mais agradável que ir em abril. Este foi um dos dois grandes pecados do meu roteiro. Em abril,  melhor ir para Indonésia. É o que dizem!
  • Por falar em clima, saiba o que são as monções asiáticas e o período em que elas ocorrem.
  • Saiba quais são os feriados e seus impactos em cada país. Este foi o meu segundo erro. Durante o mês de abril, há as comemorações do Ano Novo budista. Isso eu já sabia e até coloquei na minha planilha. Li que são quatro dias de comemorações, há todo um significado mas os festeiros dirão que é o período que as pessoas brincam de jogar água uma nas outras. Por isso, o período é conhecido em inglês como water festival.
  • É necessário visto para entrar em alguns países. Tailândia, Cingapura, Malásia não exigem visto de turistas brasileiros. Já Camboja, Vietnã, Mianmar e Indonésia, por exemplo, exigem o documento. O visto para estes países é diferente do visto para os EUA, por exemplo. Alguns países só permitem a entrada uma única vez no país durante o período permitido, como o Mianmar. Em outros, você tira o visto na chegada ao aeroporto (Camboja e Indonésia). Em alguns, você consegue preencher o formulário de permissão de entrada pela internet (Camboja e Mianmar).  Há ainda aqueles em que você só conseguirá o visto indo em alguma embaixada ou consulado (Vietnã). Tem país que só aceita a entrada por via aérea (Mianmar). Vale lembrar que o visto não é de graça nem tampouco barato.
  • Se é a sua primeira vez pelo Sudeste Asiático, eu recomendo muito começar pela Tailândia. Eu acho que é o país mais adequado para fazer a passagem para o Oriente, será mais fácil a adaptação pois o país é mais bem estruturado para o Turismo do que os demais. Eu acabei não seguindo o meu próprio conselho e fui para o Mianmar.  Como eu fui no mês de abril e o passeio de balão só era possível até o dia 15 de abril, planejei chegar em Bangkok, descansar e no dia seguinte partir para o Mianmar, onde ficaria por volta de uma semana. Depois, Bangkok, Siem Reap (Camboja) e depois mais de uma semana de praias.

 

Saiba mais sobre o planejamento da viagem ao Sudeste Asiático

Planejando a viagem ao Sudeste Asiático

Planejando a viagem ao Sudeste Asiático: erros e acertos do roteiro 

Planejando a viagem ao Sudeste Asiático: quando ir

Planejando a viagem ao Sudeste Asiático: documentos necessários

Planejando a viagem ao Sudeste Asiático: os deslocamentos

 

 

Deixe seu comentário